Info

Protesto contra fecho de escola em Rio de Moinhos (Aljustrel), crianças faltam às aulas

| País
Fonte: Agência Lusa

Aljustrel, 15 set (Lusa) - Cerca de uma centena de pessoas, entre elas 12 crianças, protestaram hoje contra o fecho da escola de 1.º Ciclo do Ensino Básico de Rio de Moinhos, no concelho de Aljustrel, o que consideram uma "injustiça".

Promovido pela população da aldeia, o protesto, no dia em que começa o novo ano letivo, começou cerca das 09:00 em frente ao edifício da escola com a concentração dos populares, entoando palavras de ordem como "queremos a escola aberta", "queremos a nossa escola" e "queremos aqui as nossas crianças".

As 13 crianças do 1.º Ciclo de Rio de Moinhos faltaram hoje às aulas na escola de destino, o Centro Escolar Vipasca, na sede de concelho, Aljustrel, a cerca de quatro quilómetros de distância.

Durante o protesto, o presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, Nelson Brito, disse aos jornalistas que as crianças de Rio de Moinhos vão continuar a faltar às aulas em Aljustrel "até ser definido um modelo de transporte em segurança".

Apesar do encerramento da escola de 1.º ciclo, em Rio de Moinhos, está prevista a continuação do ensino pré-escolar, com nove crianças.

LL/MLM // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: País

Crianças são as mais afetadas pela pobreza em Portugal e há cerca de 330 mil em risco

Cerca de 330 mil crianças estão em risco de pobreza em Portugal, sendo que o grupo etário até aos 18 anos é o mais afetado, o que significa que há mais crianças pobres do que adultos ou idosos.

Dezanove pessoas morreram nas praias portuguesas durante a época balnear 2019

Dezanove pessoas morreram nas praias portuguesas durante a época balnear, que terminou na segunda-feira, na qual foram registados 502 salvamentos e 786 ações de primeiros socorros, divulgou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

200 enfermeiros vão ter que devolver aumentos salariais

Cerca de 200 enfermeiros estão a ser chamados pelos hospitais para devolver os supostos aumentos salariais resultantes do descongelamento das progressões das carreiras. O sindicato defende que se trata apenas de ajustamentos na tabela e ameaçam levar o caso a tribunal.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Porto Legends - The Underground...