Info

UE apoia inovação em baterias de lítio com 3,2 mil ME

| Economia
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 09 dez 2019 (Lusa) -- A Comissão Europeia aprovou hoje um financiamento de 3,2 mil milhões de euros para um projeto de um consórcio de sete países da União Europeia de desenvolvimento de baterias de lítio, com maior duração e amigas do ambiente.

Segundo um comunicado, Bruxelas aprovou ajudas de Estado no valor de 3,2 mil milhões de euros para um projeto de interesse comum europeu que envolve Alemanha, Bélgica, Finlândia, França, Itália, Polónia e Suécia, na área da investigação e inovação de prioridades comuns na área das baterias.

A Comissão Europeia espera que este financiamento público aprovado permita captar uma verba de cinco mil milhões de investimento privado, num horizonte temporal que se estende até 2031.

Um total de 17 participantes -- principalmente do setor industrial -- integram o projeto de desenvolvimento de tecnologias inovadoras e sustentáveis para baterias de iões de lítio que duram mais, carregam-se em menos tempo, são mais seguras e amigas do ambiente do que as usadas atualmente.

IG // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Covid-19: Ministro da Economia aponta para um milhão de trabalhadores em 'lay-off'

O Ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira trabalha, há duas semanas, com um cenário que aponta para um milhão de trabalhadores no regime de 'lay-off'. Em entrevista a Paulo Baldaia no programa Gente que Conta, Pedro Siza Vieira, deu ainda conta de que não sabe se o Governo vai poder manter a promessa de aumentos salariais de 1% na função pública, no próximo ano.

Covid-19: Produtores com prejuízo e dificuldade em vender leitões depois de queda brusca nas encomendas

A suinicultura também já sente os efeitos negativos da pandemia de Covid 19. Com a diminuição brusca da procura, os restaurantes encerraram e cancelaram as encomendas de leitão.

Covid-19: Setor da pesca artesanal pede apoios devido à quebra de procura

O setor da pesca artesanal pediu apoios para a paragem temporária forçada pelo novo coronavírus. A quebra na procura e no preço em lota são as grandes preocupações dos mestres e tripulações.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS