Info

Duas estudantes universitárias desalojadas devido à queda de grua no Porto

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 10 fev (Lusa) -- A queda da grua de grande porte hoje ocorrida na Rua da Torrinha, no Porto, destruiu parte do telhado de uma habitação onde residiam duas estudantes que terão de ser realojadas, segundo o comandante dos Sapadores Bombeiros do Porto.

Segundo o responsável, há ainda quatro pessoas que foram assistidas no local pelo INEM, mas sem necessidade de serem transportadas ao hospital.

Um dos feridos é um bombeiro que "sofreu um pequeno corte numa mão", e as outras três pessoas sofreram crises de ansiedade, devido ao "susto" que apanharam.

Em declarações aos jornalistas, Carlos Marques explicou que a infraestrutura caiu sobre uns armazéns desativados, mas "a ponta da lança" da grua atingiu o telhado do prédio de habitação, onde residiam as duas jovens universitárias.

"Neste momento estamos a avaliar as condições para em breve ser retirada a grua e estabelecermos as condições de habitabilidade", referiu, salientando que "os trabalhos deverão prolongar-se por todo o dia".

A grua caiu cerca das 08:30, mas as circunstâncias em que o incidente ocorreu ainda estão a ser apuradas.

PM // JNM

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Afetados pela queda da grua no centro do Porto falam em "má fiscalização". Empresa nega

A empresa que instalou as duas gruas que caíram nos últimos dois meses no Porto vai apresentar uma queixa-crime contra o Sindicato da Construção de Portugal. A Somirav garante que o equipamento foi objeto de inspeção.

Corpo encontrado em elevado estado de decomposição numa casa devoluta no Porto

Foi encontrado esta quarta-feira de manhã o corpo de um homem em elevado estado de decomposição numa casa devoluta localizada na freguesia de Areosa, no Porto, apurou o Porto Canal com fonte da Polícia de Segurança Pública (PSP) do Porto.

Atualizado 24-04-2019 16:33

Administração do hospital de Gaia afasta “cenário caótico” apesar da polémica com o presidente

O conselho de administração do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNGE) afastou, esta quarta-feira, qualquer "cenário caótico" vivido na instituição depois da polémica renuncia ao cargo de presidente de António Alves Dias e da 'nega' de Vitor Herdeiro, tal como noticiou o Porto Canal.

Atualizado 24-04-2019 18:47

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.