Info

António Costa promete melhorar rendimentos das famílias e competitividade das empresas

António Costa promete melhorar rendimentos das famílias e competitividade das empresas
| Economia
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro afirmou esta quarta-feira que a proposta de orçamento vai conter medidas para melhorar os rendimentos das famílias e alargar os incentivos às empresas, designadamente incentivando o reinvestimento de lucros, a inovação e a qualificação dos trabalhadores.

António Costa falava na abertura do debate quinzenal, na Assembleia da República, que se realiza cinco dias antes da entrega pelo Governo da proposta de Orçamento do Estado para 2019.

"Na proposta de orçamento que apresentaremos na próxima semana estarão presentes medidas que melhoram os rendimentos, mas também medidas que alargam os incentivos às empresas no reinvestimento dos seus lucros, e do apoio à inovação e à qualificação dos seus trabalhadores", declarou o líder do executivo.

No seu discurso inicial, dedicado às questões da economia e do emprego, António Costa procurou traçar um contraste entre a política do seu Governo e a do anterior executivo PSD/CDS-PP.

"A evolução nos últimos três anos mostra bem quão errado esteve quem tentou contrapor a recuperação de rendimentos à competitividade das empresas. Uma e outra foram fundamentais para a recuperação da economia e a criação de emprego. Na moderna economia assente no conhecimento, a competitividade das empresas depende da qualificação dos seus recursos humanos e só melhores salários permitem atrair, fixar e motivar trabalhadores mais qualificados", sustentou.

Por isso, segundo o primeiro-ministro, o seu Governo vai continuar em 2019 "a melhorar os rendimentos das famílias e a competitividade das empresas".

"E estas prioridades têm de ser prosseguidas já no próximo Orçamento do Estado", completou.

+ notícias: Economia

Taxa turística do Porto rendeu 10,4 milhões de euros com 5,2 milhões de dormidas em 2018

A Câmara do Porto angariou 10,4 milhões de euros em 2018 com a taxa turística que começou a ser cobrada em março e se aplicou a “mais de 5,2 milhões de dormidas”, revelou esta terça-feira o vereador da Economia.

Moody's diz que banca portuguesa deve reduzir rede de agências e tem que melhorar qualidade de ativos

Os bancos portugueses estão no bom caminho, mas devem continuar a melhorar a qualidade dos ativos e reforçar os esforços de reestruturação, nomeadamente em termos da redução da rede de agências, indicaram à Lusa especialistas da Moody's.

Economia cresceu 2,1% em 2018 e ficou abaixo da meta do Governo

O Produto Interno Bruto (PIB) português aumentou 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior e abaixo da previsão do Governo de uma expansão de 2,3%, divulgou esta quinta-feira o INE.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.