Info

António Costa promete melhorar rendimentos das famílias e competitividade das empresas

António Costa promete melhorar rendimentos das famílias e competitividade das empresas
| Economia
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro afirmou esta quarta-feira que a proposta de orçamento vai conter medidas para melhorar os rendimentos das famílias e alargar os incentivos às empresas, designadamente incentivando o reinvestimento de lucros, a inovação e a qualificação dos trabalhadores.

António Costa falava na abertura do debate quinzenal, na Assembleia da República, que se realiza cinco dias antes da entrega pelo Governo da proposta de Orçamento do Estado para 2019.

"Na proposta de orçamento que apresentaremos na próxima semana estarão presentes medidas que melhoram os rendimentos, mas também medidas que alargam os incentivos às empresas no reinvestimento dos seus lucros, e do apoio à inovação e à qualificação dos seus trabalhadores", declarou o líder do executivo.

No seu discurso inicial, dedicado às questões da economia e do emprego, António Costa procurou traçar um contraste entre a política do seu Governo e a do anterior executivo PSD/CDS-PP.

"A evolução nos últimos três anos mostra bem quão errado esteve quem tentou contrapor a recuperação de rendimentos à competitividade das empresas. Uma e outra foram fundamentais para a recuperação da economia e a criação de emprego. Na moderna economia assente no conhecimento, a competitividade das empresas depende da qualificação dos seus recursos humanos e só melhores salários permitem atrair, fixar e motivar trabalhadores mais qualificados", sustentou.

Por isso, segundo o primeiro-ministro, o seu Governo vai continuar em 2019 "a melhorar os rendimentos das famílias e a competitividade das empresas".

"E estas prioridades têm de ser prosseguidas já no próximo Orçamento do Estado", completou.

+ notícias: Economia

Vários comboios suprimidos no Natal e Ano Novo devido à baixa procura

Mais de duas dezenas de ligações ferroviárias, entre Intercidades e Alfa-Pendulares, serão suprimidas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 01 de janeiro de 2019, à semelhança de anos anteriores, devido à fraca procura.

Trabalhadores dos CTT lançam petição para Estado entrar no capital social

Um grupo de trabalhadores dos CTT lançou este domingo uma petição a pedir a participação do Estado no capital social da empresa privada para defesa do Serviço Universal Público e a recolha de assinaturas decorre até 31 de dezembro.

Subida do salário mínimo para 635 euros no Estado abrange 70 mil

O Ministério das Finanças estima que o aumento da remuneração mínima na administração pública, de 580 para 635 euros, proposta na sexta-feira aos sindicatos, abranja "cerca de 70 mil trabalhadores no próximo ano", disse este sábado fonte oficial à Lusa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.