Info

OE2019: CDS prevê orçamento de "continuidade" e lamenta oportunidade perdida

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 09 out (Lusa) -- O CDS-PP anteviu hoje que o próximo Orçamento do Estado será de "continuidade" no rumo político do atual Governo, que acusou de perder "uma oportunidade única" de investir na economia e de praticar uma "austeridade dissimulada".

No final da reunião com o ministro das Finanças, Mário Centeno, na Assembleia da República, sobre as linhas gerais da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2019, a vice-presidente do CDS-PP Cecília Meireles afirmou que a intenção já anunciada pelos democratas-cristãos de votar contra saiu reforçada.

"Continuamos com um Orçamento do Estado de continuidade face às políticas deste Governo: por um lado, perdeu-se uma oportunidade que era única de investir a sério na economia e na iniciativa privada. Em segundo lugar, faz-se a consolidação orçamental através do que temos chamado de austeridade dissimulada", criticou Cecília Meireles.

Por essa razão, o CDS-PP voltará a apresentar propostas de alteração -- como fez em todos os anteriores Orçamentos deste Governo socialista -, que passarão, por exemplo, pelo retomar da reforma do IRC interrompida nesta legislatura e pela eliminação da "sobretaxa" do imposto sobre os combustíveis (ISP).

"O Governo vai apresentar um Orçamento de continuidade e, da mesma forma e consistentemente, o CDS apresentará as suas propostas alternativas à política deste Governo", afirmou.

SMA // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Grande Reportagem: quais as diferenças na habitação social gerida pelas Câmaras e pelo Estado?

Em Portugal, a habitação social funciona a duas velocidades. As casas geridas pelas autarquias estão, na maior parte dos casos, em muito melhor estado do que as que pertencem ao Estado Central. O Porto Canal foi perceber quais as diferenças na habitação social que é gerida pelas Câmaras Municipais e aquela que é gerida pelo Estado.

Câmara do Porto assume falha na avaliação do impacto de construção nas Fontainhas

O presidente da Câmara do Porto assumiu esta segunda-feira que os serviços da autarquia e da Direção Geral do Património Cultural "falharam" na avaliação dos impactos de uma construção junto ao Passeio das Fontainhas cuja altura ultrapassa o muro público.

Atualizado 23-07-2019 11:25

Autarquia do Porto assina protocolo com instituições privadas onde oferece 63 bolsas de estudo

A Câmara Municipal do Porto assinou um protocolo com 12 instituições de ensino privado da cidade e vai oferecer 63 bolsas de estudo. As candidaturas já estão abertas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.