Info

Maria Leal da Costa expõe em Bruxelas esculturas inspiradas na literatura portuguesa

| País
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 09 jan (Lusa) - A escultora Maria Leal da Costa vai inaugurar uma exposição com uma dezena de obras na Casa do Brasil, em Bruxelas, a 15 de janeiro, inspirada na literatura portuguesa, de Camões e Fernão Mendes Pinto, a Gonçalo M. Tavares.

"Leituras Líticas" é o título desta mostra com obras em mármore e metais, algumas delas inéditas, como a de maiores dimensões do conjunto, com 12 metros de comprimento, que consiste num livro.

Esta peça, em formato de harmónio, desdobrável, realizada em aço, pedra e bronze, tem em cada folha uma história e desenhos que espelham momentos particulares de interrogação e reflexão do percurso de vida da artista.

Em declarações à agência Lusa, Maria Leal da Costa, que foi recentemente premiada pela Sociedade Nacional de Belas Artes, indicou que irá levar "a literatura portuguesa a Bruxelas", nesta exposição.

"Os livros marcaram muito a minha obra e esta nova peça mostra-o mais uma vez", disse, sobre as esculturas, que têm por base a ideia de livro enquanto mapa/itinerário existencial.

Essencialmente, a mostra reflete a influência de duas obras da literatura portuguesa, de épocas muito distintas: "Peregrinação", de Fernão Mendes Pinto, cujo imaginário já foi, anteriormente, alvo da atenção da escultora, que lhe dedicou todo um ciclo temático e montou uma exposição alusiva para a Câmara Municipal de Matosinhos.

A par desta obra de referência da literatura portuguesa, mas num contexto de contemporaneidade, surge "Viagem à Índia", de Gonçalo M. Tavares, outro dos marcos da escultora para a exposição em Bruxelas.

Vários excertos deste livro - uma epopeia moderna onde se glosam os "Lusíadas", de Luís de Camões - foram selecionados para acompanhar as obras expostas, sugerindo possíveis linhas de interpretação.

A escultora disse à Lusa que está neste momento a concluir a preparação de um livro que traça uma retrospetiva de todo o seu trabalho até ao presente, contendo extensa documentação fotográfica e textos de análise crítica e interpretativa.

Nascida em Lisboa, em 1964, Maria Leal da Costa frequentou o curso de Escultura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, e expõe os seus trabalhos desde 1994, possuindo atualmente ateliê na Quinta do Barrieiro, em Marvão, onde vive e trabalha desde 1999.

A sua obra encontra-se representada em Portugal e no estrangeiro, em coleções públicas e privadas, nomeadamente no Museu da Cidade de Lisboa.

No estrangeiro tem obras em coleções municipais de Punta Umbría, em Espanha, de Macau, na China, de São Francisco, nos Estados Unidos, e de Vilnius, na Lituânia.

No final de 2014 foi distinguida com o Prémio do Salão Anual da Sociedade Nacional de Belas-Artes pela obra "Correntes de Água", apresentada numa exposição com obras de 173 artistas.

A mostra "Leituras Líticas" estará patente em Bruxelas até 05 de fevereiro, com o apoio da Livraria Orfeu (Bruxelas), do Instituto Camões e da Embaixada de Portugal na Bélgica.

AG // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Borba: Pelo menos dois mortos confirmados

O deslizamento de terras para uma pedreira, ocorrido hoje à tarde na zona de Borba, provocou, pelo menos, dois mortos, divulgou o Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS) de Évora, José Ribeiro.

Ordem dos Médicos desafia ministra da Saúde a fazer turnos com médicos internos

A Ordem dos Médicos desafia a ministra da Saúde a ir para o terreno fazer turnos com os médicos internos. O desafio foi lançado numa carta aberta, depois de ninguém do ministério da saúde ter estado presente na cerimónia do juramento de Hipócrates no Porto.

Aluimento de terras em Borba arrasta retroescavadora e dois automóveis

Uma retroescavadora e dois automóveis foram hoje arrastados para o interior de uma pedreira, na zona de Borba, no distrito de Évora, devido a um aluimento de terras, desconhecendo-se o número de vítimas, indicou fonte do INEM.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.