Obras na marginal de Caxinas vão demorar seis meses e custar perto de dois milhões de euros

Obras na marginal de Caxinas vão demorar seis meses e custar perto de dois milhões de euros
CM Vila do Conde
| Norte
Porto Canal

A Câmara de Vila o Conde já lançou o concurso público para a requalificação da cobertura dos cerca de 100 armazéns de pesca, na marginal de Caxinas, onde irá nascer um parque de lazer de dez mil metros quadrados, que será “recheado” com um pequeno anfiteatro, um parque infantil, uma pérgula panorâmica e ainda áreas verdes.

O preço-base está orçado em 1.95 milhões de euros, mais IVA, e o prazo estimado para a conclusão da empreitada é de nove meses.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

Para o autarca, Vítor Costa, a obra “é de extrema importância” para o concelho, uma vez que “além de valorizar o nosso património, cria também um novo espaço para a comunidade”.

O Edil acrescenta, numa nota publicada no site oficial da autarquia, que assumiu o compromisso de “oferecer à população e aos visitantes um espaço multifuncional e que promova o desenvolvimento comunitário e turístico da região”.

A requalificação da marginal gera algumas críticas por parte dos munícipes que estão há cerca de dois anos com vista para o mar tapada.

+ notícias: Norte

Túnel fechado há quase um ano em Braga reabre ao trânsito em julho

O túnel da Avenida da Liberdade, em Braga, vai reabrir em julho ao trânsito automóvel.

Póvoa Arena abriu portas ao público durante obras

A Póvoa Arena, na Póvoa de Varzim, abriu portas para ser conhecida por toda a população durante o fim de semana, na celebração do 50º. aniversário de elevação da Póvoa de Varzim a cidade. A arena ainda se encontra em obras e o projeto foi conhecido pela população.

Rede Elétrica Nacional defende "especial urgência" de linha de alta tensão no Alto Minho

A Rede Elétrica Nacional (REN) defendeu em tribunal a “especial urgência” da linha de Alta Tensão Ponte de Lima-Fontefria (Galiza), contestada por autarcas do Alto Minho, nomeadamente para uma “redução e convergência de preços” no mercado ibérico.