Inflação abranda para 2,6% na União Europeia em março

Inflação abranda para 2,6% na União Europeia em março
| Economia
Porto Canal/Agências

A taxa de inflação homóloga na zona euro desacelerou, em março, para os 2,4%, confirmou esta quarta-feira o Eurostat que divulga um abrandamento para os 2,6% na União Europeia (UE).

Para os países da área do euro, o serviço estatístico europeu confirma a estimativa rápida de um abrandamento da taxa de inflação anual para os 2,4%, pelo terceiro mês consecutivo, face aos 6,9% de março de 2023 e aos 2,6% de fevereiro deste ano (cadeia).

Na média dos 27 Estados-membros, a taxa de inflação foi de 2,6%, que se compara com a homóloga de 8,3% e a de 2,8% do mês anterior.

As menores taxas de inflação – medidas pelo Índice Harmonizado dos Preços no Consumidor (IHPC, que permite comparações entre os Estados-membros) – foram registadas na Lituânia (0,4%), Finlândia (0,6%) e Dinamarca (0,8%).

As taxas de inflação mais altas observaram-se na Roménia (6,7%), Croácia (4,9%), Áustria e Estónia (4,1% cada).

Na comparação com fevereiro, o indicador abrandou em 13 Estados-membros, manteve-se estável em quatro e aumentou nos outros dez.

Em Portugal, a taxa de inflação homóloga, medida pelo IHPC, foi de 2,6% em março, acima da de 2,3% registada em fevereiro, mas registando um forte recuo quando comparada com a de 8,0% de março de 2023.

O Banco Central Europeu definiu o objetivo de 2% para a inflação no médio prazo.

+ notícias: Economia

Boas ou más notícias para o crédito à habitação? Taxas Euribor com novas atualizações

A taxa Euribor desceu esta quinta-feira a três e a seis meses, no prazo mais longo para um novo mínimo desde 13 de junho do ano passado, e subiu a 12 meses.

Bruxelas elogia cortes "permanentes de despesa" anunciados pelo Governo

A Comissão Europeia saudou hoje o facto de as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro se basearem em "reduções permanentes de despesa" e destacou a importância de existir um "forte compromisso" do Governo na concretização do programa de ajustamento.

Bruxelas promete trabalhar "intensamente" para conluir 7.ª avaliação

Bruxelas, 06 mai (Lusa) -- A Comissão Europeia está empenhada em trabalhar "intensamente" para terminar a sétima avaliação à aplicação do programa de resgate português antes das reuniões do Eurogrupo e do Ecofin da próxima semana, mas não se compromete com uma data.