Depois de Navalny, Lednik. Morreu na prisão opositor do Presidente Lukashenko

Depois de Navalny, Lednik. Morreu na prisão opositor do Presidente Lukashenko
| Mundo
Porto Canal / Agências

A morte do opositor bielorrusso Igar Lednik foi confirmada esta terça-feira através do Telegram, pela Viasna, uma organização de defesa dos direitos humanos.

"Igar Lednik, antigo membro do Partido Social-democrata bielorrusso (Gramada), militante e jornalista, morreu na prisão aos 64 anos", lê-se no comunicado.

Depois de ser preso em dezembro de 2022, Lednik foi condenado a três anos de prisão por difamação de Aleksandr Lukashenko num artigo publicado num jornal do Gramada.

O estado de saúde do opositor "deteriorou-se consideravelmente" na prisão, acrescentou o partido, mantido por militantes bielorrussos exilados. Lednik foi operado a um problema gastrointestinal e também sofria do coração, mas o partido não esclareceu qual a causa da sua morte.

A repressão política na Bielorrússia agravou-se depois das presidenciais de 2020, vencidas por Lukashenko apesar das denúncias de fraude eleitoral.

O Presidente da Bielorrússia está no poder desde 1994 e é um aliado fiel do líder russo, Vladimir Putin.

O resultado de 2020 suscitou uma onda inédita de manifestações de grande dimensão que foram reprimidas à força e levaram a condenações de militantes políticos, jornalistas e ativistas pelos direitos humanos.

Segundo a Viasna, há 1.400 pessoas presas na Bielorrússia por motivos políticos. Igar Lednik é o quinto preso político a morrer no país desde 2021, acrescentou a organização.

+ notícias: Mundo

Líderes do G7 condenam unanimemente "ataque sem precedentes" do Irão a Israel

Os líderes do G7, o grupo dos países mais ricos do mundo, “condenaram unanimemente o ataque sem precedentes do Irão a Israel”, afirmou este domingo o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no final da reunião.

Ex-membro da máfia de Nova Iorque escreve livro dirigido a empresários

Lisboa, 06 mai (Lusa) -- Louis Ferrante, ex-membro do clã Gambino de Nova Iorque, disse à Lusa que o sistema bancário é violento e que escreveu um livro para "aconselhar" os empresários a "aprenderem com a máfia" a fazerem negócios mais eficazes.

Secretário-geral das Nações Unidas visita Moçambique de 20 a 22 de maio

Maputo, 06 mai (Lusa) - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, vai visitar Moçambique de 20 a 22 de maio, a primeira ao país desde que assumiu o cargo, em 2007, anunciou o representante do PNUD em Moçambique, Matthias Naab.