FC Porto: Finalistas da Libertadores têm história comum com ‘Dragões’

FC Porto: Finalistas da Libertadores têm história comum com ‘Dragões’
| Desporto
Fábio Lopes

O Fluminense e o Boca Juniors disputam, este sábado, a final da Taça Libertadores, no Estádio Jornalista Mário Filho, vulgo Maracanã, no segundo ano consecutivo sem portugueses no banco de suplentes, após as presenças consecutivas de Jorge Jesus e Abel Ferreira na partida mais importante do futebol sul-americano.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

Ainda assim, o destino dos finalistas da edição deste ano já se cruzou por diversas vezes com Portugal, mais concretamente com o FC Porto, com vários jogadores a representaram os ‘azuis e brancos’ e os emblemas latinos.

No caso do Fluminense, a lista de atletas que atuaram na Invicta e pela formação Tricolor é mais extensa, quando comparada com o conjunto de Buenos Aires.

O histórico dos quatro primeiros jogadores a trocarem o Rio de Janeiro pelo Porto impõe respeito: Valdir e Flávio afirmaram-se como goleadores nas décadas de 60 e 70 em solo luso, entre 1988 e 1990, Branco revelou-se como um dos melhores laterais-esquerdos da história do clube portista e já no início deste século Carlos Alberto foi peça importante no glorioso trajeto do FC Porto até se sagrar campeão nacional, da Europa e do mundo, sob a orientação de José Mourinho.

Valdir Araújo de Sousa, de seu nome completo, viaja para a Europa no verão de 1963, com a cidade do Porto como destino, ingressando no Futebol Clube do Porto, após dar nas vistas no Fluminense e despertou o interesse e a cobiça de vários clubes do Velho Continente. No total das quatro épocas em que representou os ‘Dragões’, o dianteiro brasileiro conquistou 4 Títulos, disputou 39 partidas oficiais e marcou 34 golos.

Porto Canal

Flávio foi o segundo jogador a fazer a travessia até à Invicta, proveniente do Fluminense, sendo um dos primeiros grandes craques internacionais chegados ao FC Porto. Internacional do escrete canarinho e um dos goleadores que se aproximavam das marcas de Pelé, nas quatro temporadas que representou os ‘azuis e brancos’, o avançado brasileiro formou com Abel a dupla atacante que ainda hoje é recordada por muitos adeptos. Flávio foi por duas vezes o melhor marcador da equipa (1971/72 e 1972/73), tendo faturado 54 golos em 90 jogos oficiais.

Branco foi o terceiro atleta a representar ambos os clubes. Depois de boas exibições no Fluminense, onde se sagrou campeão brasileiro em 1984, o lateral esquerdo aterrou em Itália onde vestiu a camisola do Bréscia nas épocas de 1986/87 e 1987/88.

Na temporada de 1988/89, ingressou no Futebol Clube do Porto que era comandado por Artur Jorge. Nos azuis e brancos mostrou o seu melhor futebol, tendo sido elemento fulcral no título de campeão do FC Porto na temporada seguinte, onde também juntou a vitória na Supertaça depois de derrotar o Estrela da Amadora. É considerado por muitos como um dos melhores laterais esquerdos que já passaram pelos ‘Dragões’, fruto do fabuloso pé esquerdo que encantou a Invicta.

Internacional brasileiro, foi campeão do Mundo em 1994, nos Estados Unidos, além de ter marcado presença nas fases finais dos Mundiais de 1986 e 1990.

Carlos Alberto é outro dos nomes que consta na lista. Proveniente do Fluminense, o extremo canarinho chegou ao FC Porto em janeiro de 2004. Foi o autor do primeiro golo portista na final da Liga dos Campeões conquistada diante do Mónaco, por 3-0, em 2004. O criativo brasileiro figura também no plantel ‘azul e branco’ que foi Campeão do Mundo em Yokohama, no Japão, na final da Taça Intercontinental diante do Once Caldas.

O mais recente nome a trocar o Flu pelos ‘Dragões’ foi Evanilson. O dianteiro brasileiro, que está a realizar a quarta época no FC Porto, já apontou 41 golos e 13 assistências em 119 partidas. Desde a sua chegada a solo nacional, o jovem avançado conta já no currículo com um campeonato, duas Taças de Portugal, uma Supertaça Cândido de Oliveira e ainda uma Taça da Liga.

Recentemente, Evanilson foi eleito o jogador da semana da Liga dos Campeões, ao estar em plano de destaque na terceira jornada da fase de grupos da prova milionária, apontando um hat trick no triunfo dos dragões na Bélgica, diante do Antuérpia (4-1).

Para a história ficam ainda o nome do incontornável Deco, que se tornou lenda na Invicta, Cláudio Pitbull e de Leandro Bonfim que apesar de não terem sido contratados diretamente pelo FC Porto ao Fluminense, representaram ambos os clubes.

No que diz respeito aos atletas que representaram o FC Porto e o Boca Juniors a lista é mais curta. O histórico dos jogadores é composto por Hugo Ibarra, Sebastián Prediguer, Daniel Osvaldo e Alan Varela.

Hugo Ibarra, de 48 anos, jogou no FC Porto em 2001/02, contudo esteve ligado aos dragões até 2005 e terminou a carreira no Boca Juniors cinco anos depois.
Na Invicta não provocou grande impacto, tendo sido então emprestado ao Boca Juniors, no qual voltou a ganhar a Copa Libertadores, ao Mónaco, no qual disputou a final da Champions, precisamente frente ao FC Porto, e no Espanhol de Barcelona.

No Boca Juniors tornou-se um ícone. Representou o emblema albiceleste por três vezes, num total de nove anos, sagrando-se três vezes campeão argentino, tendo ainda conquistado três Copas Libertadores, uma Taça Intercontinental e duas Recopas sul-americanas.

Em 2022, foi oficializado como técnico da equipa de Buenos Aires, tendo conquistado um campeonato e uma Supertaça da Argentina. Apesar dos êxitos, o arranque de 2023 foi comprometedor, culminando na saída de Hugo Ibarra do comando técnico do Boca Juniors.

Sebastián Prediguer chegou à Invicta em 2009, proveniente do Colón. Sem conseguir evidenciar o seu futebol, que o levou à seleção de Maradona, somou apenas 155 minutos na Taça da Liga, tendo sido cedido ao Boca Juniors, mas também não foi além de 225 minutos.

Outro dos nomes a cruzar o destino dos dois emblemas foi o carismático Pablo Osvaldo. Com passagens por clubes como a Fiorentina, Roma, Juventus ou Boca Juniors, o avançado foi internacional por 14 vezes pela Itália. Em Portugal fez um total de 14 jogos e apontou um golo ao serviço do FC Porto em 2016, ano em que terminaria a carreira precisamente no emblema de Buenos Aires, que este sábado entra em campo para disputar a final da Libertadores.

O mais recente jogador a representar FC Porto e Boca Juniors foi Alan Varela. Natural de Isidro Casanova, cidade da região de Buenos Aires, Alan Varela começou a jogar no Barcelona Luján, filial do emblema catalão na capital argentina, antes de se mudar para o Boca Juniors em 2012.

O jovem estreou-se em 2020 pelo conjunto sénior do clube da Bombonera, tendo somado dois golos e quatro assistências em 111 jogos, e conquistado um campeonato, uma Taça da Argentina, duas Taças da Liga e uma Supertaça. Assinou pelos ‘Dragões’ no último mercado de verão.

+ notícias: Desporto

Eleições FC Porto: Portal do recenseamento pioneiro disponível para os sócios

Na antecâmara das eleições agendadas para 27 de abril, o FC Porto disponibiliza a partir desta sexta-feira um portal digital, através do qual cada sócio pode consultar dados relativos ao seu recenseamento e à sua capacidade eleitoral.

FC Porto (UEFA Youth League): Do Céu ao Inferno. Crónica de jogo

O sonho estava mais vivo que nunca quando minuto 90 apareceu no placar do Centro Desportivo de Colovray, na Suíça. Um golo transalpino na compensação e duas grandes penalidades falhadas ditaram o fim do mesmo para o FC Porto (2-2 [4-3]).

Sérgio Conceição: "A atitude é inegociável"

Sérgio Conceição promete “fazer tudo para ganhar” ao Casa Pia (domingo, 18h00).