Autarcas minhotos contra "aumento brutal" das tarifas do tratamento de resíduos

Autarcas minhotos contra "aumento brutal" das tarifas do tratamento de resíduos
| Norte
Porto Canal/Agências

Os presidentes dos seis municípios que integram a Resulima alertaram o Governo para os impactos “muito negativos e gravosos” do “aumento brutal” das tarifas do tratamento de resíduos sólidos urbanos validado pelo regulador, foi esta terça-feira anunciado.

Em comunicado, aqueles autarcas acrescentam que o alerta foi feito em reunião com o secretário de Estado do Ambiente, Hugo Pires, a quem sugeriram a introdução de um mecanismo de estabilização dos preços que ajuste o aumento anual pelo valor da inflação.

A Resulima é a empresa responsável pela valorização e tratamento dos resíduos sólidos de Arcos de Valdevez, Barcelos, Esposende, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo.

A título de exemplo, os autarcas referem que, em 2021, a tarifa de tratamento em aterro era de 7,88 euros por tonelada e em 2024 será de 66.17 euros.

Por outro lado, acrescentam, a taxa de gestão de resíduos (TGR) paga ao Estado em 2020 tinha um custo de 11 euros, valor que em 2024 ascenderá a 30 euros.

Por isso, manifestam a sua “profunda preocupação pelo impacto muito negativo e gravoso que o tarifário aprovado vai causar nas famílias, numa altura em que a conjuntura económica e social é muito difícil e adversa”.

No comunicado, a Resulima diz que Hugo Pires afirmou que o Governo não tem condições para intervir nos valores do tarifário, alegando que há diretivas e metas europeias a cumprir, nomeadamente na redução de resíduos indiferenciados e na política do sistema poluidor/pagador.

“Não obstante, o secretário de Estado mostrou a disponibilidade do Governo para apoiar o investimento em equipamentos, como recetáculos e frota de recolha de resíduos”, acrescenta.

A Resulima diz ainda que Hugo Pires se comprometeu a que o Governo devolva 30% do que os municípios gastam na TGR, como forma de atenuar o impacto dos aumentos do tarifário.

+ notícias: Norte

Homem baleado numa urbanização em Famalicão

Um homem foi esta segunda-feira baleado numa urbanização na cidade de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga, tendo sido atingido num braço, disse fonte policial.

Câmara e Estado não têm de pagar mais de 10 milhões a concessionário do Cais de Gaia

A Câmara de Gaia e o Estado não têm de indemnizar em 10,4 milhões de euros a concessionária do Cais de Gaia, tal como esta pedia, após um decreto-lei prever a extinção das concessões em domínio público hídrico.

Terceiro dia de buscas por casal desaparecido na Póvoa de Varzim termina sem sucesso

As buscas pelas duas pessoas que alegadamente desapareceram no mar, junto ao molhe norte da Póvoa de Varzim, foram interrompidas ao início da noite sem que se tivessem encontrado as vítimas, revelou em comunicado a Autoridade Marítima Nacional (AMN).