Ucrânia: Dois cargueiros civis atracaram num porto ucraniano para carregar cereais

Ucrânia: Dois cargueiros civis atracaram num porto ucraniano para carregar cereais
| Mundo
Porto Canal / Agências

O chefe do Governo da Ucrânia, Olexander Kubrakov, informou no sábado que dois navios cargueiros civis atracaram num porto ucraniano no Mar Negro, sendo a primeira vez que isso aconteceu desde que a Rússia fechou o acordo dos cereais.

As companhias de navegação às quais pertencem os navios esclareceram que estes fizeram escala no porto de Chornomorsk, para carregar cerca de 20 mil toneladas de trigo com destino a países africanos e asiáticos, explicou Kubrakov via Facebook.

Os dois navios, o Resilient Africa e o Aroyat, navegam sob a bandeira do estado de Palau (no Pacífico) e os seus tripulantes são cidadãos de origem ucraniana, turca, azerbaijana e egípcia, segundo Kiev.

Embora Kubrakov não tenha especificado o horário de chegada dos navios cargueiros em Chornomorsk, os dois navios já estavam no porto à tarde, segundo o site de controlo de tráfico marinho MarineTraffic.

Desde o início da invasão, em fevereiro de 2022, a Rússia tem bloqueado os portos ucranianos no Mar Negro, algo que gerou grande agitação desde o primeiro momento, devido ao medo da fome em alguns países, uma vez que a Ucrânia é um grande exportador de cereais.

Neste contexto, a ONU e a Turquia atuaram como intermediários na negociação de um acordo internacional que permitiria que as exportações agrícolas ucranianas chegassem aos mercados mundiais a partir de três portos - incluindo Chornomorsk. No entanto, depois de o acordo ter expirado, em julho, Moscovo recusou-se a prorrogá-lo.

Da mesma forma, após o fim do acordo, Moscovo começou a atacar a infraestrutura portuária ucraniana e, em resposta, Kiev estabeleceu um corredor temporário através do Mar Negro para os navios civis transitarem por sua própria conta e risco.

Até ao momento, foram cinco os navios cargueiros que utilizaram o referido corredor com o objetivo de sair dos portos ucranianos, alguns dos quais estavam bloqueados desde o início da guerra.

No entanto, nenhum navio de carga civil tinha feito escala em portos ucranianos.

+ notícias: Mundo

Líderes do G7 condenam unanimemente "ataque sem precedentes" do Irão a Israel

Os líderes do G7, o grupo dos países mais ricos do mundo, “condenaram unanimemente o ataque sem precedentes do Irão a Israel”, afirmou este domingo o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no final da reunião.

Ex-membro da máfia de Nova Iorque escreve livro dirigido a empresários

Lisboa, 06 mai (Lusa) -- Louis Ferrante, ex-membro do clã Gambino de Nova Iorque, disse à Lusa que o sistema bancário é violento e que escreveu um livro para "aconselhar" os empresários a "aprenderem com a máfia" a fazerem negócios mais eficazes.

Secretário-geral das Nações Unidas visita Moçambique de 20 a 22 de maio

Maputo, 06 mai (Lusa) - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, vai visitar Moçambique de 20 a 22 de maio, a primeira ao país desde que assumiu o cargo, em 2007, anunciou o representante do PNUD em Moçambique, Matthias Naab.