Venezuela pede extradição de opositores radicados em Espanha e nos EUA

Venezuela pede extradição de opositores radicados em Espanha e nos EUA
| Mundo
Porto Canal / Agências

A justiça venezuelana pediu a extradição de quatro políticos opositores atualmente a viver em Espanha e nos Estados Unidos, informou, na sexta-feira, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do país.

De acordo com uma ata divulgada pelo STJ, três dos pedidos são dirigidos a Espanha, onde se encontram o ex-presidente da Câmara Metropolitana de Caracas António Ledezma e as ex-deputadas Dinorah Figuera Tovar e Auristela del Valle Vásquez que, em dezembro de 2022, foram nomeadas presidente e vice-presidente, respetivamente, do parlamento, após a dissolução do governo interino do opositor Juan Guaidó.

O quarto pedido foi feito aos Estados Unidos, onde está radicada a ex-deputada Marianela Fernández Alvarado, ex-vice-presidente da Assembleia Nacional de 2015, onde a oposição detinha a maioria.

Segundo a imprensa local, estes cidadãos foram acusados de crimes relacionados com "terrorismo".

Em janeiro, um tribunal de Caracas emitiu um mandado de detenção contra Dinorah Figuera Tovar, Auristela del Valle Vásquez e Marianela Fernández Alvarado, pelo envolvimento nos crimes de usurpação de funções, traição à pátria, associação para cometer delito e legitimação de capitais.

Por outro lado, António Ledezma é acusado também dos crimes de traição à pátria, conspiração, instigação e associação para cometer delitos, após declarar à imprensa que tinha conversado com militares sobre alegados planos violentos para afastar Nicolás Maduro do poder.

+ notícias: Mundo

Líderes do G7 condenam unanimemente "ataque sem precedentes" do Irão a Israel

Os líderes do G7, o grupo dos países mais ricos do mundo, “condenaram unanimemente o ataque sem precedentes do Irão a Israel”, afirmou este domingo o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no final da reunião.

Ex-membro da máfia de Nova Iorque escreve livro dirigido a empresários

Lisboa, 06 mai (Lusa) -- Louis Ferrante, ex-membro do clã Gambino de Nova Iorque, disse à Lusa que o sistema bancário é violento e que escreveu um livro para "aconselhar" os empresários a "aprenderem com a máfia" a fazerem negócios mais eficazes.

Secretário-geral das Nações Unidas visita Moçambique de 20 a 22 de maio

Maputo, 06 mai (Lusa) - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, vai visitar Moçambique de 20 a 22 de maio, a primeira ao país desde que assumiu o cargo, em 2007, anunciou o representante do PNUD em Moçambique, Matthias Naab.