Putin diz que Rússia vai ajudar Coreia do Norte a lançar satélites

Putin diz que Rússia vai ajudar Coreia do Norte a lançar satélites
Lusa
| Mundo
Porto Canal/Agências

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse esta quarta-feira que o país vai ajudar a Coreia do Norte a lançar satélites, antes de uma reunião numa base espacial com o líder norte-coreano Kim Jong-un.

De acordo com a imprensa estatal russa, quando questionado sobre se Pyongyang queria a assistência de Moscovo na construção de satélites, Putin disse na base espacial de Vostochny: "É por isso que viemos aqui".

Kim Jong-un "demonstra grande interesse na tecnologia de foguetes. Eles também estão a tentar desenvolver o espaço", disse Putin, referindo-se às autoridades da Coreia do Norte.

A imprensa estatal disse que o líder norte-coreano fez a Putin inúmeras perguntas sobre os Soyuz-2 durante uma visita a uma instalação de lançamento destes foguetes espaciais russos em Vostochny.

Nos últimos meses, a Coreia do Norte falhou repetidamente tentativas de colocar em órbita o seu primeiro satélite espião militar, algo que Kim Jong-un tinha descrito como crucial para aumentar a ameaça dos seus mísseis com capacidade nuclear.

A presidência da Rússia disse, num comunicado de imprensa, que os dois líderes visitaram ainda o local de montagem do lançador Angara e o sítio onde está a construída a plataforma de lançamento desta nova geração de foguetes russos.

Putin e Kim foram acompanhados pelo vice-primeiro-ministro e representante plenipotenciário no Distrito Federal do Extremo Oriente, Yuri Trutnev, pelo diretor da agência espacial russa Roscosmos, Yuri Boríov, e pelo diretor geral da JSC TsENKI, a agência que gere a base de Vostochny, Nikolai Nestechuk.

"Falaremos sobre todos os assuntos sem pressa, há tempo", respondeu Putin quando questionado por jornalistas da imprensa estatal sobre a cooperação militar entre os dois países.

Após a visita, os dois líderes iniciaram conversações bilaterais, disseram agências de notícias oficiais russas, que sublinharam a presença do ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, entre as delegações dos dois países.

De acordo com a imprensa estatal, Kim Jong-un disse que a Coreia do Norte apoia a decisão russa de invadir a Ucrânia, algo que descreveu como "uma luta sagrada para defender a sua soberania e segurança".

"Sempre apoiámos e continuamos a apoiar todas as decisões do Presidente Putin", disse Kim ao líder russo, no início das conversações.

"Espero que estejamos sempre juntos na luta contra o imperialismo", sublinhou o líder norte-coreano, acrescentando que atualmente as relações com Moscovo são a "maior prioridade" de Pyongyang.

"Temos muitos assuntos, incluindo política, economia e cultura", para discutir, acrescentou Kim.

De acordo com imagens transmitidas pela televisão russa, Putin disse que as discussões se vão concentrar em particular na "situação na região", na "cooperação económica" e em "questões humanitárias".

+ notícias: Mundo

Líderes do G7 condenam unanimemente "ataque sem precedentes" do Irão a Israel

Os líderes do G7, o grupo dos países mais ricos do mundo, “condenaram unanimemente o ataque sem precedentes do Irão a Israel”, afirmou este domingo o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no final da reunião.

Ex-membro da máfia de Nova Iorque escreve livro dirigido a empresários

Lisboa, 06 mai (Lusa) -- Louis Ferrante, ex-membro do clã Gambino de Nova Iorque, disse à Lusa que o sistema bancário é violento e que escreveu um livro para "aconselhar" os empresários a "aprenderem com a máfia" a fazerem negócios mais eficazes.

Secretário-geral das Nações Unidas visita Moçambique de 20 a 22 de maio

Maputo, 06 mai (Lusa) - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, vai visitar Moçambique de 20 a 22 de maio, a primeira ao país desde que assumiu o cargo, em 2007, anunciou o representante do PNUD em Moçambique, Matthias Naab.