Comerciantes afetados pelas obras do metro na zona do Jardim do Carregal

Comerciantes afetados pelas obras do metro na zona do Jardim do Carregal
| Porto
Maria Pinto Silva

Na passada segunda-feira, teve início uma nova fase das obras da Linha Rosa do metro, na zona do Jardim do Carregal, no Porto. Devido à empreitada, os comerciantes já enfrentam dificuldades há quase dois anos. Agora, deparam-se com um novo constrangimento: as limitações no acesso pedonal ao Hospital de Santo António, do qual dependem para os seus negócios continuarem a sobreviver.

As dificuldades começaram há dois anos com o encerramento do jardim do Carregal. O motivo é a obra da Linha Rosa da Metro do Porto que começou uma nova etapa, o que implica mais um constrangimento para os comerciantes e moradores da zona.

O Porto Canal esteve à conversa com Bruno Barros, proprietário do café Decomur, que revela que esta fase da obra é a mais crítica para os comerciantes. Com esta nova fase, a principal alteração é no acesso pedonal ao hospital de Santo António. Os comerciantes já notam diferença na faturação porque são os pacientes e trabalhadores do hospital que fazem sobreviver os negócios da zona. “Todo o motor da zona é o Hospital de Santo António, todos os comerciantes vivem das pessoas que visitam diariamente o hospital”, afirma Bruno.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

“Desde segunda-feira que notamos que a faturação diminuiu 30/40% e estamos no mês de agosto. Entretanto vai começar setembro, um mês mau para todo o português, e isto tende a piorar a cada dia”, concluiu o comerciante.

Face a este cenário, pedem apoio e novas soluções à metro do Porto, mas as respostas são escassas. Para além dos comerciantes, também há moradores que vêm as suas vidas prejudicadas por conta da obra. É o caso de Adelaide Morais, moradora numa rua junto ao Jardim do Carregal há 70 anos. Adelaide compara o barulho das obras noturnas com um estaleiro. “Sinto-me dentro de um estaleiro (…) não consigo dormir e isto é uma vergonha” afirma a moradora.

A senhora de 70 anos tem de se deslocar semanalmente até ao Hospital de Santo António por conta de um problema de saúde. “Se tiver de ir ao hospital por onde é que atravesso? Não existe sequer uma passadeira, tenho de ir dar uma volta enorme”.

A nova etapa da empreitada começou esta segunda-feira e prevê-se que tenha a duração de pelo menos um ano.

+ notícias: Porto

Restaurante Antiqvvm no Porto ganha segunda estrela Michelin

O restaurante Antiqvvum no Porto ganhou este terça-feira a segunda estrela do guia Michelin, enquanto quatro estabelecimentos conquistaram uma estrela, anunciou a publicação, numa cerimónia exclusivamente dedicada a Portugal, em Albufeira.

Câmara do Porto volta a lançar concurso para reabilitação do Jardim da Cordoaria

A Go Porto publicou esta terça-feira o concurso público para a empreitada de reabilitação do Jardim da Cordoaria, no Porto, pelo valor de 528 mil euros. Esta obra já tinha sido alvo de um concurso publicado em março do ano passado.

“O centralismo é evidente. Não há forma de esconder”. Portugueses querem a regionalização

Seja no que diz respeito ao aproveitamento de fundos europeus ou na ideia de uma maior autonomia, a maioria dos portugueses parece estar a favor da regionalização, como mostra uma sondagem da associação SEDES e a auscultação de alguns portuenses pelo Porto Canal.