Salários de mil euros perderam 42% do poder de compra desde há 20 anos

Salários de mil euros perderam 42% do poder de compra desde há 20 anos
| País
Porto Canal

Desde há vinte anos para cá que o poder de compra diminuiu. Tal como noticiou o Jornal de Notícias esta segunda-feira, os jovens qualificados tem sido vítimas da imigração, dado o facto de as empresas não aumentarem os salários. 

João Cerejeira, economista, afirma ao Jornal de Notícias, que para comprar o mesmo que se comprava em 2002 com um salário de mil euros, “seria necessário hoje um salário de 1422 euros”, isto é, mais 42%.

O único salário que aumentou muito nos últimos 20 anos, foi o mínimo nacional, que duplicou. Os restantes salários pouco subiram e muitos congelaram.

Cerca de 56% dos trabalhadores, em 2022, recebiam menos de mil euros. Entre os jovens, a percentagem era de 65%.

Algumas soluções, de acordo com o que economistas explicaram ao JN, passam por desenvolver a industrialização e por rever a “pesada carga fiscal sobre o trabalho e as empresas”.

+ notícias: País

Portugal proibido de pescar carapau

A frota portuguesa esgotou a quota de pesca de carapau, na zona do Golfo da Biscaia Meridional, ficando estas capturas proibidas a partir de segunda-feira, anunciou esta segunda-feira a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM).

Campanha em 600 farmácias para utentes doarem o troco das suas compras e ajudarem quem mais precisa

A campanha “Dê troco a quem precisa” arranca esta segunda-feira em cerca de 600 farmácias de todo o país que vão “convidar os utentes” a doar o troco das suas compras para ajudar quem mais precisa a comprar medicamentos.

APAV ajudou oito crianças todos os dias durante os últimos dois anos

Mais de 5.660 crianças e jovens foram apoiados pela Associação Portuguesa de Apoio à Vitima (APAV) nos últimos dois anos, um valor que subiu 18,2% no ano passado, chegando a uma média de oito por dia.