Há adeptos contratados no Mundial? Representante de Portugal afirma que "ninguém é pago"

Há adeptos contratados no Mundial? Representante de Portugal afirma que "ninguém é pago"
| Mundial 2022
Porto Canal

Elisabete Reis, "fan leader" de Portugal no Mundial deste ano no Qatar, continua a negar a existência de adeptos pagos para apoiar a seleção nacional.

Em declarações à RTP, Elisabete Reis continua a defender que existe um apoio genuíno a Portugal, com "vários fãs de todas as partes do mundo, seja o Bangladesh, Sri Lanka, Filipinas... fãs do continente africano, fãs de muitas partes do mundo."

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

Recorde-se que o arranque da competição ficou marcado por um episódio em que centenas de adeptos desfilaram nas ruas de Doha com as cores de diferentes países participantes na competição, entre os quais Portugal. Nas redes sociais falou-se, na altura, em “farsa” e “encenação”.

“A festa mundialista já passa nas ruas de Doha”, podia ser lido na conta oficial em espanhol da organização do Mundial 2022, no Qatar. Nas imagens, era possível ver-se grupos de adeptos argentinos, espanhóis, brasileiros e franceses vestidos a rigor, acompanhados de bombos, bandeiras e cachecóis. Havia até um grupo de portugueses apaixonados por Ronaldo e companhia que decidiram celebrar na estação de metro da cidade.

Nas redes sociais, surgiram várias denúncias de se tratarem, em vez de adeptos, figurantes alegadamente contratados pela organização da prova e não das diferentes seleções que vão entrar em campo. Ou seja, os quatro grupos de adeptos não são argentinos, espanhóis, brasileiros ou franceses. Alguns utilizadores da rede social Twitter avançaram a possibilidade de os figurantes serem maioritariamente de nacionalidade indiana, país que “forneceu” uma boa parte da mão-de-obra da construção dos estádios qataris.

+ notícias: Mundial 2022

Mundial2022: Dinamarca 'troca' golos por dinheiro para apoiar trabalhadores migrantes no Qatar

Os golos marcados em novembro na Dinamarca, desde os escalões amadores até ao campeonato principal, vão gerar uma verba para ajudar os trabalhadores migrantes no Qatar, anunciou esta segunda-feira a Federação Dinamarquesa de Futebol (DBU).

Qatar vai pagar a "espiões" para elogiarem o Mundial?

A questão é feita pelo jornal inglês "The Times", que na edição desta sexta-feira afirma que 40 adeptos ingleses foram escolhidos para integrar um grupo de 400 pessoas, oriundas de 60 países, com o objetivo de "limpar" a já negra imagem do Mundial de Futebol de 2022.

Mundial2022: FPF subscreve declaração com outras nove federações europeias sobre o Qatar 

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) subscreveu, com outras nove federações europeias, uma declaração em que reconhece que o Qatar trá feito progressos no que diz respeito aos direitos dos trabalhadores migrantes, revela a FPF em comunicado.