Info

Lula da Silva absolvido em caso sobre alegados favorecimentos ao setor automóvel

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Brasília, 21 jun 2021 (Lusa) - A justiça brasileira absolveu hoje o ex-presidente do Brasil Lula da Silva, o ex-ministro Gilberto Carvalho e outros cinco acusados numa das ações da operação Zelotes, que investigava alegados favorecimentos a empresas do setor automóvel.

"Embora existam elementos que demonstrem a atuação por parte da empresa de Mauro Marcondes, no que se refere à prorrogação de benefícios fiscais às empresas Caoa e MMC, não há evidências apropriadas e nem sequer minimamente aptas a demonstrar a existência de ajuste ilícito entre os réus para fins de repasse de valores em favor de Lula e Gilberto Carvalho", concluiu o juiz Frederico Viana, da 10.ª Vara Criminal da Justiça Federal em Brasília.

A acusação contra Lula teve origem na operação Zelotes e foi feita pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2017.

Segundo a acusação, a empresa Marcondes e Mautoni Empreendimentos, que representava a Caoa (Hyundai) e MMC (Mitsubishi do Brasil), teria oferecido seis milhões de reais (1 milhão de euros, no câmbio atual) a Lula e a Carvalho em troca da edição de uma medida provisória que prorrogou incentivos fiscais a empresas de produção automóvel instaladas nas regiões norte, nordeste e centro-oeste do país.

Nesse âmbito, foram acusados de corrupção Lula da Silva, o ex-ministro e o seu ex-chefe de gabinete Gilberto Carvalho, o ex-conselheiro do conselho administrativo da Receita Federal José Ricardo da Silva, o lobista Alexandre Paes dos Santos, o ex-presidente da MMC - Mitsubishi Paulo Arantes Ferraz, o empresário Mauro Marcondes Machado e o empresário do Grupo Caoa Carlos Alberto Andrade.

O juiz atendeu assim ao pedido do MPF, que, nas alegações finais apresentadas no mês passado, concluiu não haver provas e pediu a absolvição do ex-presidente e dos demais acusados no caso.

"Ante o exposto, julgo improcedentes os pedidos formulados na peça acusatória e absolvo os acusados dos crimes a eles imputados nos autos desta ação penal", decidiu o juiz Frederico Viana.

Lula da Silva está ainda a acusado numa outra ação da operação Zelotes, que investiga se ocorreram irregularidades na compra de caças suecos durante o Governo de Dilma Rousseff.

Neste processo, o ex-chefe de Estado brasileiro e o seu filho Luís Cláudio Lula da Silva são acusados de integrar um esquema de tráfico de influências para viabilizar a compra de 36 caças suecos do modelo Gripen e de influenciar a decisão de prorrogar incentivos fiscais a pedido de empresas.

Lula da Silva recuperou os seus direitos políticos este ano, após o Supremo Tribunal Federal anular as suas condenações no âmbito da operação Lava Jato, em Curitiba.

Desta forma, ficaram sem efeito as penas acumuladas de 26 anos que pesavam sobre o antigo presidente, por condenações por corrupção, que já admitiu a possibilidade de concorrer às presidenciais de 2022.

Lula da Silva, de 75 anos, não conseguiu concorrer às eleições de 2018 precisamente porque já estava condenado na ocasião. O antigo chefe de Estado chegou a passar um ano e sete meses na prisão, até ser libertado em novembro de 2019.

Apesar de as condenações de Lula da Silva terem sido anuladas e de voltar a estar elegível, isso não significa que o ex-sindicalista metalúrgico tenha sido inocentado já que os casos serão remetidos para a justiça do Distrito Federal, que os vai reavaliar e pode receber novamente as denúncias e reiniciar os processos anulados.

MYMM // LFS

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Pandemia já matou pelo menos 4,09 milhões de pessoas no mundo

A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 4.093.263 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais.

Quatro portugueses detidos em Espanha por suposta violação de duas mulheres

Redação, 24 jul 2021 (Lusa) -- A polícia espanhola anunciou ter detido hoje quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país.

Polícia moçambicana detém militares em ajuntamento a beberem álcool e armados

Maputo, 24 jul 2021 (Lusa) -- A polícia moçambicana deteve na sexta-feira militares que bebiam álcool armados e fardados na cidade de Pemba, norte do país, num aglomerado, à noite, violando as medidas de prevenção de covid-19, anunciaram hoje as autoridades.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.