Bruxelas ameaça bloquear exportações da vacina AstraZeneca

Bruxelas ameaça bloquear exportações da vacina AstraZeneca
| Mundo
Porto Canal com Lusa

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ameaçou hoje bloquear as exportações da vacina AstraZeneca se a União Europeia (UE) não recebesse primeiro as suas entregas.

"Temos a opção de proibir quaisquer exportações planeadas. Esta é a mensagem que estamos a enviar à AstraZeneca: respeitem o vosso contrato com a Europa antes de começarem a entregar a outros países", disse Ursula von der Leyen numa entrevista com o grupo de comunicação social alemão Funke.

"Todas as opções estão sobre a mesa", acrescentou a ex-ministra da Defesa alemã num aviso claro, sublinhando que os líderes da UE iriam rever a questão da entrega na próxima semana.

A Comissão Europeia anunciou na quinta-feira que iria ativar um procedimento contratual para resolver o litígio com a AstraZeneca, cujas entregas de vacinas contra a covid-19 são significativamente inferiores às inicialmente previstas.

Este procedimento está previsto nos contratos de fornecimento de vacinas da União Europeia (UE).

Cada parte tem a oportunidade de enviar uma carta à outra parte, convidando-a a participar num processo de resolução de litígios que terá lugar 20 dias mais tarde entre os dirigentes executivos da Comissão Europeia e a empresa.

A AstraZeneca deverá entregar 70 milhões de doses da sua vacina contra a covid-19 - cuja utilização foi suspensa por vários países - no segundo trimestre, muito menos do que os 180 milhões prometidos no contrato assinado com a União Europeia.

No primeiro trimestre, espera-se que a UE tenha recebido um total de cerca de 30 milhões de doses da AstraZeneca.

Embora a Pfizer, sediada nos EUA, tenha resolvido os seus problemas de produção de vacinas, "existe uma grande suspeita nos círculos europeus (de que o grupo Astrazeneca) tem vendido as mesmas doses várias vezes e não é capaz", por isso, de entregar à União Europeia, disse um alto funcionário da UE.

O mecanismo de proibição da exportação de vacinas é primeiro decidido pelo Estado-membro onde a vacina é produzida e depois a Comissão dá a sua luz verde. O mecanismo só foi utilizado uma vez, tendo a Itália bloqueado a exportação de 250.000 doses de vacina AstraZeneca para a Austrália, citando uma "escassez persistente" e "atrasos nas entregas".

Contudo, nem todos os Estados membros da UE são favoráveis a uma proibição de exportação, com países como a Holanda e a Bélgica - onde grande parte da vacina da AstraZeneca é produzida - a apelar à prudência.

+ notícias: Mundo

Homem procurado em Espanha detido em Portugal

Um cidadão estrangeiro de 22 anos de idade que estava a ser procurado em Espanha foi detido, em Lisboa, pela Polícia Judiciária (PJ) na sequência de um mandato de detenção europeu, emitido pelas autoridades judiciais espanholas, pela "prática dos crimes de associação criminosa, tirada de presos e ofensas à integridade física qualificadas", revelou aquela força policial em comunicado enviado às redações.

Ex-membro da máfia de Nova Iorque escreve livro dirigido a empresários

Lisboa, 06 mai (Lusa) -- Louis Ferrante, ex-membro do clã Gambino de Nova Iorque, disse à Lusa que o sistema bancário é violento e que escreveu um livro para "aconselhar" os empresários a "aprenderem com a máfia" a fazerem negócios mais eficazes.

Secretário-geral das Nações Unidas visita Moçambique de 20 a 22 de maio

Maputo, 06 mai (Lusa) - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, vai visitar Moçambique de 20 a 22 de maio, a primeira ao país desde que assumiu o cargo, em 2007, anunciou o representante do PNUD em Moçambique, Matthias Naab.