Info

Covid-19: Rússia regista novo recorde de 613 mortes em 24 horas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Moscovo, 11 dez 2020 (Lusa) - A Rússia registou nas últimas 24 horas 613 óbitos por covid-19, um novo máximo desde o início da pandemia, informaram hoje as autoridades sanitárias de Moscovo. 

O número diário de mortes confirmadas pelo novo coronavírus na Rússia registou um aumento em novembro e continuou a subir em dezembro.

O último recorde do número de mortes tinha ocorrido no passado dia 02 de dezembro, com 589 óbitos.

O número total de mortes no país desde o início da pandemia elevou-se a 45.893 óbitos.

Nas últimas 24 horas registaram-se 28.585 novas infeções de SARS CoV-2 em 84 das 85 regiões da Rússia. 

Destes novos contágios, 4.600 (16,1%) são assintomáticos, de acordo com o centro operacional de combate à covid-19.

De todas as regiões russas, o maior aumento de novos casos verifica-se em Moscovo, onde nas últimas 24 horas foram registados 7.215 contágios e 77 mortes.

Até ao momento notificaram-se oficialmente 2.597.711 casos na Rússia, o quarto país do mundo mais afetado pela pandemia depois dos Estados Unidos, Índia e Brasil.

 

PSP // FPA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Covid-19: Secretário de Estado do Vaticano e seu 'número dois' testam positivo

Cidade do Vaticano, 18 jan 2022 (Lusa) - O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, e o seu 'número dois', arcebispo Edgar Peña Parra, testaram positivo para o novo coronavírus e estão em isolamento, informou hoje o Vaticano.

Ucrânia: Rússia desloca forças para exercícios conjuntos na Bielorrússia

Moscovo, 18 jan 2022 (Lusa) -- A Rússia deslocou tropas do extremo leste do país para a Bielorrússia, onde vão participar em exercícios militares, indicaram hoje responsáveis oficiais, o que implica uma nova concentração de tropas junto das fronteiras ucranianas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS