Info

Covid-19: Pandemia já causou mais de 596 mil mortos e 14 milhões de infetados no mundo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

A pandemia de covid-19 já matou pelo menos 596.742 pessoas e ultrapassou os 14 milhões de infetados em todo o mundo desde dezembro, segundo o balanço mais recente da agência de notícias AFP.

Segundo o balanço da agência francesa junto de fontes oficiais, até às 12:00 de hoje (hora de Lisboa), além de já ter causado pelo menos 596.742 mortos, foram ainda detetados mais de 14.075.520 casos de infeção em 196 países e territórios desde o início da pandemia, detetada na China em dezembro.

Destes, pelo menos 7.708.100 já foram considerados curados.

Contudo, a AFP alerta que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves com internamento hospitalar, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos estados pobres têm capacidade limitada de rastreamento.

Na sexta-feira, registaram-se 6.587 novas mortes e 245.508 novos casos em todo o mundo.

O Brasil, com 1.163 novos mortos, o Chile (1.057) e os Estados Unidos (927) são os países com mais óbitos desde o anterior balanço da AFP.

Os Estados Unidos mantêm-se como o país mais afetado em termos de óbitos e casos totais, com 139.266 mortes para 3.647.715 infeções, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Naquele país, pelo menos 1.107.204 pessoas foram consideradas curadas.

Além dos Estados Unidos, os países mais afetados pela pandemia são o Brasil, com 77.851 mortes em 2.046.328 casos, o Reino Unido (45.119 mortes e 293.239 casos), o México (38.310 mortes e 331.298 casos) e a Itália (35.028 mortos e 243.967 casos).

Entre os países mais atingidos, a Bélgica é o que tem maior número de mortos em relação à sua população, com 85 óbitos por 100.000 habitantes, seguido do Reino Unido (66), Espanha (61), Itália (58) e Suécia (56).

A China, onde se excluem os territórios de Hong Kong e Macau, contabiliza oficialmente um total de 83.644 casos (22 novos entre sexta-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes (zero novas) e 78.758 pessoas curadas.

A Europa contabiliza até às 12:00 de hoje 204.807 mortes em 2.923.849 casos, a América Latina e Caribe 158.483 mortes (3.710.432 casos), os Estados Unidos e Canadá 148.131 mortes (3.757.238 casos), a Ásia 48.225 mortes (1.999.335 casos), o Médio Oriente 22.276 mortes (987.037 casos), a África 14.673 mortes (683.596 casos) e a Oceania 147 mortes (13.033 casos).

O balanço apresentado pela AFP foi realizado com base em dados das autoridades nacionais e informações da Organização Mundial de Saúde.

A AFP esclarece ainda que devido a correções pelas autoridades ou publicação tardia de dados, os números de aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.

Em Portugal, morreram 1.684 pessoas das 48.390 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde, divulgado hoje.

 

DYMC // MP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Identificadas duas variantes genéticas associadas a formas graves da doença

Investigadores do Instituto de Investigação Biomédica de Bellvitge (IDIBELL) identificaram duas novas variantes do gene TLR7 que podem estar na base de uma maior predisposição a desenvolver covid-19 numa forma mais severa, nomeadamente entre jovens saudáveis.

Japão prolonga estado de emergência em Tóquio e alarga-o a mais áreas

Tóquio, 30 jul 2021 (Lusa) - O Governo japonês prolongou hoje até 31 de agosto o estado de emergência em Tóquio, onde decorrem os Jogos Olímpicos, e estendeu a medida a outras áreas devido ao aumento de infeções com o vírus da covid-19.

Inflação na zona euro sobe para 2,2% em julho impulsionada por preços na energia

Bruxelas, 30 jul 2021 (Lusa) -- A taxa de inflação anual na zona euro fixou-se em 2,2% em julho, um aumento face aos 1,9% de junho e impulsionado principalmente pelos preços na energia, segundo a estimativa rápida hoje divulgada pelo gabinete estatístico comunitário, Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.