Info

Covid-19: TAP prepara voos de repatriamento para Praia e Luanda na sexta-feira

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 26 mar 2020 (Lusa) - A companhia aérea portuguesa TAP está a preparar dois voos de repatriamento de portugueses na sexta-feira, um para a Cidade da Praia, em Cabo Verde, e outro para Luanda, em Angola, anunciou hoje a transportadora.

"A Companhia aérea portuguesa, em estreita colaboração com o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), solicitou ao Governo de Angola e de Cabo Verde autorização para a realização de mais dois voos extra que têm como objetivo continuar a trazer de volta a casa e às suas famílias mais de 400 portugueses, bem como transportar carga médica e humanitária", lê-se num comunicado divulgado pela TAP, que especifica que "os voos, de ida-e-volta para Praia, em Cabo Verde, e de Luanda, em Angola, para Lisboa, estão previstos para sexta-feira, dia 27 de março".

No comunicado, adianta-se que "os voos já foram colocados em sistema, sendo que as reservas poderão ser feitas no site da TAP, www.flytap.com, ou nas agências de viagens".

A TAP diz que garante "todas as condições de segurança e operacionais para a realização destes dois voos que, à semelhança dos voos extra operados pela Companhia para África ao longo desta semana, estão a realizar-se em condições operacionais atípicas, motivadas pelas diversas restrições impostas por governos e autoridades" dos países que tentam conter a propagação da pandemia da covid-19.

Lembrando que "o Governo de Cabo Verde implementou restrições aos voos oriundos de Portugal, de outros países europeus com focos epidemiológicos da covid-19, do Brasil, EUA, Senegal e Nigéria", a TAP afirma que, "considerando que os tempos de voo o permitem", realizará "voos de ida e volta".

Já para Angola, "a TAP voará Lisboa-Luanda e Luanda-Faro-Lisboa, trocando a tripulação em Faro e assegurando que as tripulações não ficam de quarentena em Luanda, conforme prescrito pelas autoridades angolanas; o voo de Luanda será operado por um A330-900neo com capacidade de trazer 298 passageiros", aponta-se no comunicado.

O número de mortes causadas pela covid-19 em África subiu hoje para 72 com o número de casos acumulados a ultrapassar os 2.700 em 46 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia.

No total, estão contabilizados neste continente 2.746 casos de infeção desde o início da pandemia e 72 mortes, de acordo com dados do Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças da União Africana (ÁfricaCDC), que reporta dados registados até 09:30 de Adis Abeba (06:30 horas de Lisboa) e contabiliza apenas 46 países.

Nos países lusófonos, Angola e Cabo Verde registam, cada um, três casos da covid-19 nos seus territórios, Moçambique confirmou cinco e a Guiné-Bissau dois.

Na Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, o ÁfricaCDC regista nove pessoas infetadas com a doença, mas o Governo do país já confirmou 11 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 240.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7.503 mortos em 74.386 casos registados.

Mais de 20 países do continente africano adotaram medidas para a contenção da propagação do vírus, incluindo a quarentena, encerramento de fronteiras, fecho de escolas e proibição de encontros religiosos, desportivos ou culturais.

MBA (CFF) // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Ministério Público pede pena efetiva de prisão próxima dos três anos para Armando Vara

O Ministério Público (MP) pediu hoje a condenação do ex-deputado Armando Vara a uma pena efetiva próxima dos três anos de prisão por um crime de branqueamento de capitais, do qual foi pronunciado em processo separado da Operação Marquês.

Ministro dos Negócios Estrangeiros assegura que Portugal cumpriu as regras na entrada de britânicos

O ministro dos Negócios Estrangeiros assegurou hoje que Portugal cumpriu as regras de saúde pública relativamente à entrada de turistas britânicos, depois das críticas de Angela Merkel à descoordenação europeia quanto a viagens na União Europeia.

Gondomar contesta divisão da região por lotes para o concurso de transportes

                                    

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS