Covid-19: Fitch Solutions prevê recessão de 1,9% no Brasil

| Economia
Porto Canal com Lusa

Nova Iorque, 24 mar 2020 (Lusa) - A consultora Fitch Solutions reviu hoje a perspetiva de evolução da economia brasileira, passando a prever uma recessão de 1,9% este ano devido às dificuldades do mercado financeiro decorrentes da pandemia da covid-19.

"A combinação das dificuldades dos mercados financeiros atingirem os mercados emergentes, menos margem orçamental, procura externa em retração e um número crescente de casos do novo coronavírus vão pesar fortemente no crescimento", alertam os analistas.

Numa nota enviada aos clientes, e a que a Lusa teve acesso, os analistas desta consultora detida pelos mesmos donos da agência de 'rating' Fitch escrevem que "os riscos descendentes continuam, e a previsão de crescimento para estes países é 2,6%, o menor valor médio desde a crise financeira mundial de 2009".

No caso do Brasil, a previsão passou de um crescimento de 1,6%, para uma recessão de 1,9% este ano devido às dificuldades financeiras e ao impacto económico da pandemia do novo coronavírus.

A Fitch Solutions usa a expressão mercados emergentes para designar um conjunto de vários países, entre os quais estão a China, a Índia, as Filipinas, a Indonésia, o Vietname e o Brasil.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 360 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

MBA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Taxa Euribor a seis meses volta a cair para novo mínimo

A taxa Euribor subiu esta sexta-feira a três e a 12 meses e desceu a seis meses para um novo mínimo desde 13 de junho do ano passado.

Já é conhecida a chave do Euromilhões desta sexta-feira

Já são conhecidos os números que compõem a combinação vencedora do Euromilhões desta sexta-feira.

Pacote medidas para os jovens vai custar cerca de 1,3 mil milhões de euros em dois anos

As medidas para a juventude apresentadas esta quinta-feira pelo Governo têm um impacto financeiro global estimado de pelo menos 1.262,3 milhões de euros entre 2024 e 2025, com a fatura a ser mais elevada no próximo ano, segundo cálculos da Lusa.