Info

Pesca da sardinha proibida a partir de sábado

Pesca da sardinha proibida a partir de sábado
| Economia
Porto Canal com Lusa

A captura e descarga de sardinha fica proibida a partir de sábado, segundo um despacho do secretário de Estado das Pescas publicado hoje em Diário da República.

"A partir das 12:00 horas do dia 12 de outubro é proibida a captura, manutenção a bordo e descarga de sardinha, com qualquer arte de pesca", refere o despacho.

A pesca da sardinha tem vindo a ser gerida "com o objetivo de assegurar a gradual recuperação do recurso, em linha com os objetivos da Política Comum das Pescas".

Por esse motivo tem havido todos os anos paragens do setor, têm sido implementadas medidas de proteção dos juvenis e impostos limites anuais às possibilidades de captura.

A pesca da sardinha foi retomada a 03 de junho, ainda que com medidas de gestão e limites de captura definidos, depois de ter estado parada desde meados de setembro de 2018.

O estado do recurso está a ser avaliado pelo Conselho Internacional para a Exploração do Mar, com o intuito de definir as possibilidades de pesca para 2020 para Portugal e Espanha.

Em setembro, a ministra do Mar reiterou que a quota da captura da sardinha para este ano é de até 9.000 toneladas, mantendo-se cautelosa com a possibilidade do aumento das capturas em 2020.

No entanto, para as organizações ibéricas da sardinha este valor é insuficiente, uma vez que estas defendem que a biomassa disponível permite uma atualização das possibilidades até cerca de 19 mil toneladas ainda este ano.

+ notícias: Economia

Setor têxtil prevê fecho de duas mil empresas e perda de 28 mil postos de trabalho até 2025

O novo plano estratégico para o têxtil diz que o setor poderá perder duas mil empresas e 28 mil postos de trabalho. Apesar disso a associação dos empresários deste setor considera que não existem razões para alarmismos.

Alojamento local deve gerar impacto económico de 432 milhões de euros este ano em Portugal

A estadia em alojamento local deverá ter este ano em Portugal um impacto económico de 432 milhões de euros, segundo estimativas de um estudo hoje divulgado sobre o perfil do viajante português.

Portugal gasta quase metade do orçamento para saúde em ambulatório

Portugal gasta quase metade do seu orçamento para a saúde em cuidados de ambulatório e as despesas diretas das famílias são mais altas, em geral, do que a média europeia, segundo um relatório que é apresentado na quinta-feira em Lisboa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.