Idai: Grupo Cooprofar-Medlog doa 1.300 caixas de medicamentos à Cruz Vermelha

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Porto, 29 mar (Lusa) -- O grupo Cooprofar-Medlog, distribuidor de produtos de saúde, doou 1.300 caixas de medicamentos à Cruz Vermelha Portuguesa para esta os entregar às vítimas do ciclone Idai, em Moçambique, já na próxima semana.

Em comunicado, o grupo refere que os medicamentos foram selecionados em função das necessidades identificadas pela Cruz Vermelha Portuguesa no terreno, tratando-se essencialmente de antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios.

"É uma catástrofe de grandes proporções à qual a sociedade civil não pode ficar indiferente porque as doenças vão aumentar no rescaldo de um desastre como este. A contribuição em medicamentos por parte das empresas como o grupo Cooprofar-Medlog é, pois, um inestimável apoio a esta Operação Embondeiro desenvolvida pela Cruz Vermelha Portuguesa em Moçambique", disse o presidente desta instituição, Francisco George, citado na nota.

O maior distribuidor de produtos de saúde de capital exclusivamente português opera, há já mais de duas décadas, através da empresa Mercafar - distribuição farmacêutica, nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) contando atualmente com várias plataformas e um serviço de apoio a laboratórios farmacêuticos na distribuição e representação de importantes marcas multinacionais.

O número de mortos provocados pelo ciclone Idai e as cheias que se seguiram subiu para 493 em Moçambique, anunciaram hoje as autoridades moçambicanas.

O último balanço, apresentado no centro de operações de socorro da cidade da Beira, aponta ainda para 1.523 feridos e 839.748 pessoas afetadas pelo desastre natural de 14 de março.

Houve 55.463 casas totalmente destruídas, 28.070 destruídas parcialmente e 15.784 inundadas, sendo que a maioria das habitações afetadas são de construção precária.

SYF (LFO) // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Suspeito de ataque em Copenhaga tem antecedentes psiquiátricos

O alegado autor de um tiroteio ocorrido no domingo em Copenhaga, que fez três mortos e quatro feridos graves, tem antecedentes de doença psiquiátrica, indicou hoje a polícia dinamarquesa, afirmando não haver indícios de "um ato terrorista".

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.