Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Costa garante 100% de empenho para não aumentar despesa com lei das 35 horas

Costa garante 100% de empenho para não aumentar despesa com lei das 35 horas
| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro afirmou hoje compreender a preocupação do Presidente da República de que a reposição das 35 horas de trabalho na função pública não implique aumento de despesa, salientando que o Governo estará 100% empenhado nesse objetivo.

Esta posição consta de uma mensagem do chefe do Governo, António Costa, a que a agência Lusa teve acesso, logo após o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ter promulgado o diploma que restabelece as 35 horas de trabalho semanais na função pública, aprovado no parlamento na quinta-feira.

Nessa nota, o primeiro-ministro declara "compreender bem a preocupação do Presidente da República de assegurar que reposição das 35 horas não implique aumento da despesa global com pessoal".

"É o que consta do programa do Governo, é o que está previsto na lei ora promulgada e que terá de ser aplicada com todo o rigor para evitar quaisquer dúvidas sobre a constitucionalidade da lei aprovada na Assembleia da República", frisa o primeiro-ministro.

António Costa afirma depois que o seu Governo "estará 100% empenhado em assegurar que este objetivo" de não haver aumento global da despesa "é cumprido".

A lei que restabelece as 35 horas como período normal de trabalho em funções públicas foi aprovada em votação final global com votos a favor de PS, BE, PCP, PEV e PAN e votos contra de PSD e CDS-PP.

+ notícias: Política

Défice até outubro melhora para 1.830 ME

O défice das administrações públicas foi de 1.838 milhões de euros até outubro, "uma melhoria de 2.664 milhões de euros", segundo o Ministério das Finanças.

António Costa diz que decisão de transferir Infarmed para o Porto já estava decidida

O primeiro-ministro, António Costa, disse, em entrevista à Antena 1, que a decisão de transferir a sede do Infarmed para o Porto já estava tomada e admitiu que a comunicação feita aos trabalhadores "não foi a melhor".

Eduardo Vítor Rodrigues duvida que mudança do Infarmed para o Porto se concretize

O presidente do Conselho Metropolitano do Porto tem muitas dúvidas que o Infarmed venha para o Porto. Eduardo Vítor Rodrigues, diz-se "estufefacto com as reações elitistas lisboetas", que considera serem defensoras do centralismo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS