Info

Quarenta e três câmaras descem o IMI, três sobem

Quarenta e três câmaras descem o IMI, três sobem
| Economia
Porto Canal (LYC)

Apenas 1% das 308 câmaras municipais portuguesas vão subir o IMI no próximo ano e 136 (44%) vão cobrar a taxa mínima (3%).

As taxas do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a cobrar em 2016 vão manter-se iguais em 259 das 308 câmaras municipais, o equivalente a 84% do total, avançou o Jornal de Negócios esta segunda-feira.

As taxas podem variar entre os 3% e os 5% e cabe a cada autarquia avaliar a taxa que melhor se aplica às suas necessidades financeiras. Em 2016, das 308 autarquias 136 (44%) irão cobrar a taxa mínima e 31 cobrarão a taxa máxima, menos três do que no ano passado.

Quase 71% das autarquias decidiu dar um desconto no IMI a famílias com filhos., avançou ainda o Jornal de Negócios. No entanto, municípios como Porto, Amadora, Sintra ou Setúbal, não são abrangidos por essa benesse.

As famílias com filhos residentes em 218 dos 308 municípios portugueses vão beneficiar, em 2016, de um desconto no imposto a pagar. Isto porque, de acordo com o Orçamento do Estado de 2015, os municípios podem adoptar uma redução do imposto a pagar por proprietários de imóveis conforme o número de filhos. Traduzindo-se em percentagens de até 10% com um dependente, até 15% com dois e até 20% com três ou mais.

 

+ notícias: Economia

Portugal é um dos três países da União Europeia com maior pobreza energética

Portugal é um dos três países da União Europeia com maior pobreza energética. Apesar de não haver dados oficiais, um estudo da Faculdade de Ciências e Tecnologia de Lisboa, indica que é na zona norte do país que as pessoas têm mais dificuldade em proteger-se do frio. A reportagem é da jornalista Patrícia Canelas.

Ministro das Infraestruturas afirma que se acordo sobre cargas e descargas "não funcionar o Governo vai ter que intervir"

O ministro das Infraestruturas deixa claro que se o acordo assinado entre Governo, patrões e sindicatos para regular as operações de cargas e descargas não funcionar, o Governo vai mesmo intervir. Pedro Nuno Santos destaca que caso mais grave é o da grande distribuição.

Mais de 100 autarquias vão ter que devolver IMI dos parques eólico e município de Montalgre pede alternativa para cobrir perdas

O presidente da Câmara de Montalegre voltou a lamentar a decisão dos tribunais que consideraram ser cobrança indevida do Imposto Municipal Sobre Imóveis aos parques eólico. A situação vai obrigar as autarquias a devolver o dinheiro até agora recebido o que significa um grande corte no orçamento.

 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...

N'Agenda

"Gosto de estar a par do rap que...