Info

Beira Baixa tem 4,7 ME para combate ao abandono e insucesso escolar

| País
Porto Canal com Lusa

Proença-a-Nova, Castelo Branco, 02 nov (Lusa) - A Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) está a desenvolver um plano de combate ao abandono e insucesso escolar para os seis municípios que a integram com uma verba disponível de 4,7 milhões de euros.

"Os montantes previstos para os seis municípios no âmbito do Portugal 2020 para o combate ao abandono e insucesso escolar são de 4,7 milhões de euros", disse hoje à agência Lusa o presidente da CIMBB, João Paulo Catarino.

Este responsável explicou que uma consultora internacional está já no terreno a fazer o diagnóstico da situação nos concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

"Em função desse diagnóstico serão implementadas um conjunto de ações com os agentes educativos de cada concelho cujo objetivo passa pela definição de novas abordagens educacionais a aplicar nos estabelecimentos escolares", adiantou.

Este investimento realiza-se no âmbito de verbas provenientes do programa Portugal 2020 que foram atribuídas à CIMBB para este fim.

"Procuramos nesta fase do projeto o diagnóstico da nossa realidade, o estudo de casos de sucesso nacionais e internacionais e depois, em conjunto com os agentes educativos locais, a implementação de uma estratégia por forma a chegar aos alunos", sintetizou.

A CIMBB abrange os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

CAYC // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Caso e-Toupeira parado devido ao recurso apresentado por um dos arguidos

O caso e-Toupeira está parado devido ao recurso apresentado por um dos arguidos. A reação do funcionário judicial Júlio Loureiro está a atrasar o início do julgamento.

Covid-19: Autoridades japonesas confirmam infeção de tripulante português

As autoridade japonesas confirmaram hoje que o português Adriano Maranhão, canalizador no navio Diamond Princess, atracado no porto de Yokohama, deu teste positivo ao coronavírus Covid-19, disse à Lusa fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Morreram 11 235 pessoas por AVC em 2018, mortes por doenças respiratórias aumentam

Os acidentes vasculares cerebrais causaram em 2018 o maior número de óbitos, com 11.235 mortes, mas os dados melhoraram em relação ao ano anterior, ao contrário das mortes por doenças respiratórias, que estão a aumentar, segundo o INE.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.