Info

PS deve aguardar propostas do novo Governo - Ferro Rodrigues

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 05 out (Lusa) -- O líder da banca parlamentar do PS, Eduardo Ferro Rodrigues, defendeu hoje que o partido deve aguardar as propostas do novo Governo para decidir se há possibilidade de entendimentos e classificou a atual situação de inédita.

Aos jornalistas, o socialista disse que esta é "uma situação que a Assembleia da República nunca viveu".

"Mesmo quando houve maioria relativa, no tempo do engenheiro Guterres, a situação era diferente, visto que era uma maioria do PS que era central e tinha à direita e à esquerda partidos de oposição", afirmou.

"Hoje a situação é diferente, visto que todo o Governo está de um lado e toda a oposição está de outro. Vamos ver quais são as propostas" daqueles que "forem indigitados para formar governo".

Ferro Rodrigues falava no final da cerimónia solene do 105.º aniversário da implantação da República, no salão nobre dos Paços do Concelho, em Lisboa.

A coligação formada por PSD e CDS-PP venceu com 38,55% dos votos (o que representa 104 deputados), tendo perdido a maioria absoluta, e o PS foi o segundo partido mais votado, com 32,38% (85 deputados), estando ainda por atribuir quatro assentos na futura Assembleia da República, referentes aos círculos da emigração.

MCL/FZM/AYMN // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Autarcas independentes exigem alterações à lei eleitoral até 31 de março

Autarcas eleitos por movimentos independentes exigiram hoje que, até 31 de março, seja feita "a alteração das inconstitucionalidades" provocadas pelas modificações introduzidas em 2020, pelo PS e PSD, na lei eleitoral autárquica.

Covid-19: Governo apresenta plano de desconfinamento a 11 de março

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que o Governo apresentará no dia 11 de março o plano de desconfinamento, adiantando que será gradual em termos de abertura de atividades.

"Este infelizmente não é ainda o tempo do desconfinamento" - Costa

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que "este, infelizmente, não é ainda o tempo do desconfinamento", motivo pelo qual o Governo aprovou o decreto regulamentar do estado de emergência sem qualquer alteração.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m