Info

José Soeiro (BE) lamenta "desperdício" de capacidade da RTP/Porto

| Política
Fonte: Agência Lusa

Gaia, 04 set (Lusa) -- O candidato do Bloco de Esquerda ao Porto, José Soeiro, lamentou hoje o "esvaziamento, a aniquilação e desperdício" da capacidade do Centro de Produção Norte da RTP e apelou ao reforço daquela estrutura.

Na sequência de uma reunião com a Subcomissão de Trabalhadores do Centro de Produção Norte da RTP, José Soeiro disse à Lusa ter verificado que "apesar das promessas, das declarações de intenções, o que está em marcha é um esvaziamento, uma aniquilação da RTP/Porto e um desperdício da sua capacidade de produção".

"Entendemos que o Centro de Produção Norte é uma alavanca fundamental de visibilidade dos protagonistas e dos atores do Norte, até do ponto de vista da democracia, da diversidade dos pontos de vista que se exprimem e da diversidade territorial", afirmou o candidato bloquista à Câmara Municipal do Porto, ladeado pelo ator Mário Moutinho, que participou em séries infantis da estação pública como "Os Amigos de Gaspar", e pelo realizador e professor universitário Jorge Campos.

Soeiro considerou ser necessário recuperar a tradição de produção de séries juvenis e infantis no Porto, como "No Tempo dos Afonsinhos", bem como reforçar a valorização do próprio Centro de Produção Norte, que podia ser "uma mola de desenvolvimento de todo o audiovisual da região do Porto".

"Este centro de produção e a capacidade que tem podia ser uma mola que o ultrapassa: na ligação às universidades, na ligação aos agentes culturais", afirmou o sociólogo.

Em meados de julho, a Subcomissão de Trabalhadores da RTP/Porto mostrou-se apreensiva face ao futuro, lamentando que as "promessas" da administração não se tenham concretizado, enquanto a empresa disse manter-se comprometida com o Centro de Produção do Norte.

Num comunicado intitulado "Promessas de inverno, amores de verão", os trabalhadores da RTP/Porto lembraram que, na sequência da transferência da produção do programa "Praça da Alegria" para Lisboa, a administração da estação pública fez "uma série de promessas", entre as quais que "a produção própria para a RTP2 seria integralmente assegurada a partir do Porto", algo que na realidade atual, segundo a Subcomissão de Trabalhadores, se encontra "entre o quase nada e o muito pouco".

Também em julho, fonte oficial da RTP afirmou, em resposta escrita enviada à Lusa, que a empresa "mantém a aposta e o compromisso em relação à RTP/Porto" e que se está "a trabalhar no sentido de valorizar e rentabilizar as instalações", por acreditar "firmemente na importância, capacidade e competências das equipas" da estação pública.

"O processo de reestruturação levado a cabo na RTP é de médio/longo prazo, pelo que muitas das medidas serão realizadas atempadamente, sempre que estejam reunidas as condições necessárias para o seu sucesso", acrescentou fonte oficial da empresa.

TDI // JGJ

Lusa/fim

+ notícias: Política

Operadores da Área Metropolitana do Porto reclamam diferencial do passe único

A Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (ANTROP) reclamou hoje uma “solução de curtíssimo prazo” para ressarcir os operadores da Área Metropolitana do Porto, que ainda não receberam “nenhum pagamento” pelo diferencial do passe único.

Rui Moreira propõe entrega da STCP à Câmara do Porto em 2024

Rui Moreira propôs ao Governo um modelo para entregar a STCP à Câmara Municipal do Porto em 2024, findo o atual contrato de gestão. O modelo foi proposto num parecer que admite a entrada de outros municípios da região na estrutura accionista da empresa. O guião de procedimentos foi pedido ao escritório de José Pedro Aguiar-Branco, com um novo modelo no qual fica também aberta a porta à participação minoritária dos municípios de Matosinhos, Gaia, Valongo, Gondomar e Maia na futura estrutura acionista de uma empresa local de transportes.

Atualizado 23-05-2019 11:53

Caso Rui Pinto: a opinião dos candidatos das Eleições Europeias

Ao longo desta campanha vários candidatos pronunciaram-se sobre o caso do denunciante Rui Pinto. Enquanto alguns consideraram que a justiça portuguesa devia colaborar com o informático tal como certos países estão a fazer, outros consideraram que este é um não assunto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.