Info

Lusofonia exige "acordo militante" em Portugal, defende Marcelo Rebelo de Sousa

| Política
Fonte: Agência Lusa
Lisboa, 19 jun (Lusa) -- Uma realidade como a da Lusofonia exige um "acordo militante" em Portugal e devia ser uma "aposta política fundamental", defendeu hoje o ex-líder do PSD Marcelo Rebelo de Sousa.

O comentador político falava na conferência "Uma Visão de Futuro pela Lusofonia" para estudantes de mestrados da Nova School of Business and Economics, em Lisboa, que encerrou o módulo "O Potencial Global do Mundo Lusófono".

Considerando que uma questão como a da Lusofonia "não pode depender do governo de cada momento", Marcelo Rebelo de Sousa defendeu um "acordo militante", mais do que um consenso entre os principais partidos, que implicasse que "o que for feito tem de ser feito com a perspetiva de longo prazo".

Devendo ser uma "aposta política fundamental", a Lusofonia merecia um ministro, segundo o ex-líder do PSD, que "sugeriu" até o cargo: "ministro adjunto do primeiro-ministro para a questão da Lusofonia".

Marcelo Rebelo de Sousa falou sobre a importância da sociedade civil na aproximação da Lusofonia e no valor das comunidades portuguesas no mundo, considerando a língua "crucial", com "um potencial económico e social e humano brutal".

Falou também da sua experiência de trabalho em vários países lusófonos, um curso sobre como se fazem leis em Cabo Verde, um programa de mestrados em Angola e de doutoramentos em Moçambique, assinalando que tais intercâmbios mostram como é grande o campo de ação.

Aos que querem apostar nos países da lusofonia aconselhou humildade e persistência e defendeu com insistência a necessidade de empatia, de bom relacionamento humano.

Considerou também importante colocar a questão na ordem do dia, através dos media, escolas e empresas, e "pela positiva".

Marcelo Rebelo de Sousa vê "casos interessantes" em quase todos os países lusófonos. O Brasil é uma potência e nem a desaceleração económica diminui a sua importância, Angola é uma potência regional e "tem importância maior em Portugal do que o Brasil", é um "caso muito interessante", referiu.

Moçambique "é muito interessante, até pela charneira com a comunidade de língua inglesa" e como plataforma "do ponto de vista geopolítico", Cabo Verde tem uma "posição estratégica muito interessante" e é "militarmente muito interessante" porque permite contrariar o avanço do narcotráfico naquela zona de África, uma questão importante para a Europa e os Estados Unidos, explicou.

"Este mundo podia ser monótono (...) mas cada um (dos países) tem coisas fascinantes. Genericamente são casos com futuro", disse.

PAL // EL

Lusa/fim

+ notícias: Política

Sondagem: Luís Montenegro à frente de Rui Rio para primeiro ministro

Luís Montenegro à frente de Rui Rio com 25% contra 24,1% na resposta à pergunta: "Quem prefere para líder do PPD/PSD e candidato a primeiro ministro?", de acorco com Eurosondagem para o Porto Canal

Rui Rio garante que "acabou a pouca vergonha de andar a pagar cotas por atacado a outras pessoas"

Em campanha para as eleições internas do PSD, Rui Rio garante que desta vez não haverá ninguém a pagar cotas por atraso de outros militantes, respondendo assim às acusações da campanha de Montenegro sobre falhas e irregularidades no processo de atualização de dados de militantes do partido. Rui Rio analisou ainda a discussão entre Costa e Centeno no eurogrupo e mostrou estar do lado do primeiro ministro.

Sondagem: Militantes do PSD escolhem Luís Montenegro

À questão "Quem prefere para líder do PPD/PSD e candidato a primeiro ministro?", os inquiridos, que responderam na sondagem que votariam no PSD, escolhem Luís Montenegro com 27,4% seguido de Rui Rio com 24,2%. São os dados da Eurosondagem para o Porto Canal

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...