Info

Dezenas de detidos na operação da PJ contra auxílio à imigração ilegal

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 15 out 2019 (Lusa) -- Dezenas de pessoas, entre as quais funcionários da Autoridade Tributária, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e do Instituto da Segurança Social, foram hoje detidos na operação para desmantelar uma alegada rede criminosa de auxílio à imigração ilegal.

Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) adianta que no decurso da operação Rota do Cabo realizou dezenas de buscas domiciliárias e não domiciliárias e deteve dezenas de pessoas suspeitas de integrarem esta estrutura criminosa.

A estrutura criminosa, segundo a PJ, era "constituída por indivíduos com vastos antecedentes criminais e com ligações a redes internacionais que determinam e controlam os fluxos migratórios irregulares com origem em diversos países da Ásia Meridional e África".

Os detidos, com idades compreendidas entre os 28 e os 64 anos, são suspeitos da prática dos crimes de associação criminosa, auxílio à imigração ilegal, de casamento por conveniência, de falsificação de documentos, de abuso de poder, de corrupção ativa e passiva, de branqueamento, de falsidade informática e acesso indevido, atividade criminosa que permitiu obter elevados proventos financeiros.

A operação foi realizada pela PJ, através da Unidade Nacional Contra-Terrorismo (UNCT), no âmbito de inquérito titulado pela 4.ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Durante a operação foi dado cumprimento de mandados de busca e apreensão e mandados de detenção com o objetivo de "desmantelamento de uma organização criminosa responsável pela introdução ilegal em Portugal e na Europa, de milhares de imigrantes".

Os detidos serão presentes quarta-feira ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa para primeiro interrogatório judicial.

DD // SB

Lusa/Fim

+ notícias: País

Covid-19: Portugal com 1.436 (+12) mortos e 32.895 (+195) infetados

Portugal regista hoje 1.436 mortes relacionadas com a covid-19, mais 12 do que na segunda-feira, e 32.895 infetados, mais 195, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

Presidente da Câmara de Viseu repudia decisão do INEM de enviar helicóptero para Loures

O presidente da Câmara de Viseu repudiou hoje a decisão do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) de colocar provisoriamente em Loures o helicóptero estacionado no aeródromo municipal, uma vez que “maltrata, mais uma vez, os territórios do Interior”.

Covid-19: Ginásios reabrem com regras de higienização reforçadas

Nesta segunda-feira, os ginásios e centros de fitness retomaram a atividade. O cuidado em cumprir as regras de segurança foi visível.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.