Info

Parlamento recomenda ao Governo novo estudo de impacte ambiental sobre barragem de Fridão

| Política
Porto Canal com Lusa

O parlamento recomendou esta sexta-feira ao Governo que realize um novo estudo de impacte ambiental do projeto da barragem do Fridão, fazendo uma "avaliação rigorosa dos riscos para os territórios e populações afetadas", um projeto de resolução apresentado pelo CDS-PP.

Atualizado 07-04-2019 13:04

O projeto de construção da barragem do Fridão, prevista para o Rio Tâmega, foi hoje um tema que teve três projetos de resolução em votação no plenário da Assembleia da República, tendo os dois do BE e do PAN que recomendavam ao Governo que determinasse o seu cancelamento sido rejeitados com a mesmo resultado: votos contra do PS e PCP, a favor do BE, PEV, PAN e do deputado socialista Hugo Carvalho e a abstenção de PSD e CDS-PP.

Já o projeto de resolução dos centristas, que propõe a realização de um novo estudo de impacto ambiental para a barragem do Fridão, foi aprovado com os votos contra do PS e do PEV, a abstenção do deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira e os votos a favor das restantes bancadas.

Quer o PEV quer o BE anunciaram que iriam entregar uma declaração de voto sobre este ponto.

No texto aprovado, o CDS-PP lembra que o Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico (PNBEPH) foi lançado pelo Governo do PS, liderado por José Sócrates, em 07 de dezembro de 2007, tendo o atual Governo decidido reavaliar aquele programa, "com respeito às barragens cujas obras ainda não tivessem sido iniciadas".

"O Aproveitamento Hidroelétrico do Fridão (AHF) foi um dos aproveitamentos hidroelétricos selecionados no âmbito do PNBEPH, cujas obras não haviam começado, tendo o atual governo decidido a sua suspensão pelo prazo de 3 anos, sendo que já anunciou que a decisão definitiva relativamente à mesma iria ser tomada até ao dia 18 de abril de 2019", explicam.

O CDS-PP defende que a avaliação "deve passar necessariamente pela realização de um novo Estudo de Impacte Ambiental, que permita uma maior transparência em todo o processo, o envolvimento das populações e autarquias, a avaliação de todos os riscos para a saúde humana, para o património cultural, ambiental e paisagístico, à luz dos novos quadros normativos, novas informações e alterações verificadas ao longos dos últimos anos".

Ao Governo o parlamento recomenda assim "um novo Estudo de Impacte Ambiental ao projeto de Aproveitamento Hidroelétrico do Fridão, promovendo uma análise rigorosa dos riscos para a segurança e saúde da população, para o património e para o ambiente, nomeadamente no atual quadro de combate às alterações climáticas".

No âmbito do novo estudo, pede-se ainda ao executivo que "proceda à divulgação pública de todas as informações relevantes do processo, que promova a discussão pública, envolvendo e esclarecendo devidamente as autarquias locais da região e toda a população afetada".

+ notícias: Política

Ministra da Saúde diz que região Norte não é a mais carenciada de obstetras

A ministra da Saúde diz que a região Norte não é a que tem mais carência de obstetras e por isso, considera que a a distribuição de médicos deve ser feita com "equidade regional", dando prioridade às regiões mais carenciadas. Marta Temido diz que só hoje é que recebeu a carta dos clínicos do Norte a alertar para a falta de médicos nas maternidades

Ministra da Saúde mostra preocupação pelos tempos de espera devido a falta de operacionais no INEM

Na noite de S. João, o INEM teve três ambulâncias no Grande Porto paradas por falta de tripulação. Esta é mais uma das consequências da falta de meios do Instituto, que durante este mês já chegou a ter momentos com 17 chamadas urgentes em espera. Questionada pelo Porto Canal, a Ministra da Saúde diz "estar preocupada".

Presidente da República diz que "nenhum português pode deixar de estar satisfeito" com números da economia

O Presidente da República considerou esta segunda-feira que "nenhum português pode deixar de estar satisfeito" com os números da execução orçamental, avisando que "não há bela sem senão" e que ficaram despesas por fazer, essencialmente no setor social.

Atualizado 25-06-2019 15:15

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS