Info

Coordenador de transportes da AMP admite deixar cargo por "divergências" com presidente

| Norte
Porto Canal com Lusa

O coordenador da área dos transportes na Área Metropolitana do Porto (AMP), Marco Martins, admitiu esta quarta-feira "divergência de opiniões" com o presidente desta entidade, apontando que está a "ponderar se abandona ou não o cargo".

Atualizado 08-02-2019 12:30

"Já coloquei o meu lugar à disposição várias vezes e hoje [após serem conhecidas as verbas para o Passe Único para o Porto] foi a gota de água", disse Marco Martins que é também presidente da Câmara de Gondomar e que falava numa reunião camarária em resposta a perguntas colocadas pela oposição sobre a questão do passe único e da relação atual entre municípios na AMP.

À margem da sessão, em declarações aos jornalistas, Marco Martins, disse que a decisão de manter-se ou não como coordenador está reservada para esta noite: "Espero que a noite seja uma boa conselheira", disse.

Já questionado sobre se entrou em rutura com o líder da AMP, Eduardo Vítor Rodrigues, Marco Martins disse que "não", mas admitiu "divergências de opinião".

"Não entrei em rutura com ele [presidente da AMP] nem com ninguém, mas temos divergências de opinião que são legítimas. Não quero criar polémicas e confusões, quero promover e incentivar a mobilidade na AMP", referiu.

Confrontado com esta posição, em declarações à agência, Eduardo Vítor Rodrigues, disse esporear que Marco Martins não abandone o cargo.

"Com franqueza espero que isso não aconteça porque acho que o presidente da Câmara de Gondomar tem tido um papel muito importante neste processo e na área dos transportes. Seria uma pena que tomasse uma posição destas agora que chegamos a uma fase final do passe único e a uma fase final do concurso na AMP. Espero que a almofada seja boa conselheira", referiu.

+ notícias: Norte

Homem agredido e sequestrado durante assalto à sua residência em Famalicão

Um homem de 27 anos foi agredido e sequestrado na última noite durante um assalto à mão armada à casa onde reside em Oliveira S. Mateus, em Famalicão, disse hoje fonte da GNR.

Estudo de investigadores do Porto conclui que cães podem ajudar a detetar doneças oncológicas

Um grupo de investigadores do Porto realizaram um estudo e concluíram que os cães ao partilharem com um humano a mesma "exposição ambiental" podem alertar para o surgimento de doenças oncológicas.

Ana Pires: a primeira cientista-astronauta portuguesa da NASA

É natural de Espinho, tem 38 anos e tornou-se na primeira cientista-astronauta portuguesa da NASA. Ana Pires quer agora prosseguir os estudos na agência espacial americana e colocar Portugal no mapa espacial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.