Info

Coordenador de transportes da AMP admite deixar cargo por "divergências" com presidente

| Norte
Porto Canal com Lusa

O coordenador da área dos transportes na Área Metropolitana do Porto (AMP), Marco Martins, admitiu esta quarta-feira "divergência de opiniões" com o presidente desta entidade, apontando que está a "ponderar se abandona ou não o cargo".

Atualizado 08-02-2019 12:30

"Já coloquei o meu lugar à disposição várias vezes e hoje [após serem conhecidas as verbas para o Passe Único para o Porto] foi a gota de água", disse Marco Martins que é também presidente da Câmara de Gondomar e que falava numa reunião camarária em resposta a perguntas colocadas pela oposição sobre a questão do passe único e da relação atual entre municípios na AMP.

À margem da sessão, em declarações aos jornalistas, Marco Martins, disse que a decisão de manter-se ou não como coordenador está reservada para esta noite: "Espero que a noite seja uma boa conselheira", disse.

Já questionado sobre se entrou em rutura com o líder da AMP, Eduardo Vítor Rodrigues, Marco Martins disse que "não", mas admitiu "divergências de opinião".

"Não entrei em rutura com ele [presidente da AMP] nem com ninguém, mas temos divergências de opinião que são legítimas. Não quero criar polémicas e confusões, quero promover e incentivar a mobilidade na AMP", referiu.

Confrontado com esta posição, em declarações à agência, Eduardo Vítor Rodrigues, disse esporear que Marco Martins não abandone o cargo.

"Com franqueza espero que isso não aconteça porque acho que o presidente da Câmara de Gondomar tem tido um papel muito importante neste processo e na área dos transportes. Seria uma pena que tomasse uma posição destas agora que chegamos a uma fase final do passe único e a uma fase final do concurso na AMP. Espero que a almofada seja boa conselheira", referiu.

+ notícias: Norte

População de freguesia de Lamego queixa-se de descargas poluentes no rio Neto

A população de Cambres, em Lamego, queixa-se de descargas constantes feitas no rio Neto alegadamente por uma unidade industrial. Os habitantes locais dizem que as águas estão cada vez mais poluídas e que é cada vez mais difícil suportar o mau cheiro. A Câmara Municipal de Lamego confirma o agravamento da situação e garante que todos os casos têm sido comunicados às autoridades competentes.

Mesão Frio sem combustível há três dias

Os efeitos da greve dos motoristas de matérias perigosas faz-se sentir em Mesão Frio. O único posto de abastecimento da vila está sem combustiveis desde segunda feira e a população desespera para conseguir manter a normalidade dos serviços.

Perfurações em pedreira obriga ao corte de estrada 'vital' para a população em Guimarães

As perfurações ocorridas numa pedreira em Airão Santa Maria, Guimarães, obrigaram ao encerramento de uma estrada que a população diz ser vital para a mobilidade na freguesia. A autarquia alega razões de segurança.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

UNITE with Tomorrowland no Porto