Info

Autarcas alertam para limpeza de bermas e eucaliptos que regeneram naturalmente

| País
Porto Canal com Lusa

Tondela, Viseu 25 set (Lusa) -- O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões adiantou hoje à agência Lusa que os autarcas estão preocupados com a regeneração natural dos eucaliptos e com os custos da limpeza das bermas.

Estas preocupações vão ser apresentadas hoje, em reunião pedida pela CIM ao secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, que presidirá o encontro com o intuito de fazer uma avaliação da implementação das medidas após os incêndios que atingiram a região em outubro de 2017.

"A reflorestação natural dos eucaliptos é uma grande preocupação e há muitos proprietários que não estão preocupados com isso. Eles nascem todos colados uns aos outros e já estão grandes. E depois há a questão da limpeza das bermas, que, com o alargamento da área de limpeza, nós, câmaras, não temos meios para o fazer", resumiu Rogério Abrantes à agência Lusa.

À entrada da reunião, o autarca disse ainda que vão questionar o secretário de Estado sobre a possibilidade de "fazer cura nas bermas, porque as que foram limpas há uns meses já estão, novamente, a precisar de limpar", tendo em conta as condições climatéricas.

Os incêndios de outubro de 2017, que atingiram sobretudo a região Centro, provocaram pelo menos 50 mortos, além da destruição de centenas de casas, empresas, infraestruturas e vasta área florestal.

A CIM Viseu Dão Lafões alberga 14 municípios, um do distrito da Guarda, Aguiar da Beira, e os restantes do distrito de Viseu, Carregal do Sal, Castro Daire, Mangualde, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Sátão, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela.

IYN // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Bastonário dos Advogados afirma que 'habeas corpus' para a mulher que abandonou o bebé no lixo foi "uma questão de instrumentalização" 

Guilherme de Figueiredo, Bastonário dos Advogados, critica a postura do grupo de advogados que pediram um 'Habeas Corpus' para libertar a mulher de 22 anos que abandonou o bebé. Considera que foi mais uma questão de instrumentalização do assunto do que propriamente uma questão de defesa.

Falta de medicamentos nos hospitais obriga alguns utentes a fazer 200 km para levantar fármacos

Marta Temido admite que a tutela está a acompanhar com elevada preocupação as ruturas diárias no fornecimento de medicamentos dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde. A ministra da Saúde afirma também que o objetivo é colocar os medicamentos mais próximos das residências dos doentes.

Guilherme de Figueiredo afirma que a economia não se pode sobrepor ao elemento central de soberania e coesão social dos tribunais

Guilherme de Figueiredo, Bastonário dos Advogados, afirma que não se pode estar a desvalorizar o Tribunal "em nome de valores que têm haver mais com a economia" e que não se pode sobrepor ao elemento central de soberania e coesão social que são os tribunais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.