Info

Risco de incêndios vai continuar "muito elevado" nos próximos dias

Risco de incêndios vai continuar "muito elevado" nos próximos dias
| País
Porto Canal com Lusa

O risco de incêndio rural vai continuar "muito elevado" nos próximos dias, mantendo-se o alerta laranja (segundo mais grave de uma escala de cinco) até às 14:00 de quarta-feira, anunciou hoje a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Numa conferência de imprensa, realizada na sede da ANPC, em Carnaxide, o comandante nacional de operações e socorro, Duarte Costa, avançou que na quarta-feira será feita uma nova análise e decidida qual a tipologia de alerta para os próximos dias.

Segundo o comandante nacional, o risco de incêndio continua muito elevado devido ao tempo quente e seco.

Segundo Duarte Costa, nas últimas 72 horas registou-se um aumento das ocorrências de fogo, assim como um aumento dos incêndios "de maior complexidade".

"Acentua-se a tendência para o aumento da frequência de fenómenos extremos, e fora de época, nomeadamente suscetíveis de originarem grandes incêndios rurais", sustentou.

Também devido às circunstâncias meteorológicas expectáveis para a primeira quinzena de outubro, o Governo decidiu prolongar, até 15 de outubro, o período crítico de incêndios no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios, anunciou o presidente da ANPC, Mourato Nunes.

Este prolongamento do período crítico significa que vai continuar a ser proibido fazer no espaço florestal queimadas, queimas, lançar foguetes, fumar e utilizar certos tipos de maquinas agrícolas.

+ notícias: País

Covid-19: DGS apela às pessoas que venham de áreas afetadas para não irem às urgências

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, apelou hoje às pessoas que regressem de Itália ou de outras áreas afetadas pelo novo coronavírus e que não apresentem sintomas da doença para não se deslocarem aos serviços de urgência.

Covid-19: Primeiro-ministro apela a boas práticas sem "pânicos desnecessários"

O primeiro-ministro afirmou hoje que é preciso agir sem "pânicos desnecessários" na questão do coronavírus, referiu que para já não há necessidade de fechar fronteiras ou escolas, mas desaconselhou as viagens de estudantes na altura da Páscoa.

Ministra da Saúde desvaloriza casos suspeitos de coronavírus nas urgências que foram encaminhados para casa

A ministra da Saúde desvaloriza os casos avançados pelo Porto Canal de pessoas que não foram encaminhados para exames mesmo apresentando sintomas e dizendo que tinham estado em zonas afetadas pelo coronavírus. Marta Temido diz que não são os únicos critérios para serem validados casos suspeitos de coronavírus.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.