Info

Tancos: Eventual saída do Chefe do Exército devia ter sido há um ano - PCP

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 10 ago (Lusa) - O dirigente comunista Rui Fernandes afirmou hoje que a eventual saída do posto do Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), após a polémica do desaparecimento de material militar em Tancos, a ocorrer, devia ter acontecido há um ano.

"O CEME termina o seu mandato em abril. Por conseguinte, creio que acabará no tempo próprio. Se alguma coisa mais haveria de ter sido feita, teria sido há um ano atrás, por iniciativa do próprio ou do Governo", afirmou, em conferência de imprensa, na sede partidária de Lisboa, questionado sobre a manutenção no posto do general Rovisco Duarte.

Em junho de 2017 foi noticiado o desaparecimento de diversas armas e explosivos dos paióis nacionais de Tancos. Mais tarde, a Polícia Judiciária Militar recuperou o material de guerra na zona da Chamusca, mas têm existido versões contraditórias sobre se todos os itens foram ou não encontrados.

"A hipótese [de continuidade], em tese, há sempre, mas atendendo até ao facto de, de uma forma que, enfim, não está muito clara - no sentido da explicação e justificação -, de ainda recentemente o Presidente da República ter condecorado o vice-CEME, penso que essa hipótese da renovação estará mais arredada", completou Rui Fernandes.

HPG // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Governo aprova projetos de expansão dos metros de Porto e Lisboa

O Conselho de Ministros aprovou hoje os projetos de expansão dos metros de Lisboa e do Porto, que em conjunto representam um investimento de 517 milhões de euros, 190 milhões dos quais comparticipados com fundos europeus, segundo o Governo.

Governo quer rever condições de acesso ao ensino doméstico

Uma proposta de portaria pretende apertar as regras de frequência para inscrições no ensino doméstico. O número de alunos nesta situação tem vindo a aumentar mas agora o Governo quer rever as condições de acesso.

PS propõe coima de 20 euros por dia a senhorios nos casos de assédio a inquilinos

O grupo parlamentar do PS quer punir os senhorios nos casos de assédio a inquilinos para que desocupem as casas arrendadas, propondo uma coima de 20 euros por dia até que a situação seja corrigida.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS