Info

Corte para pescas portuguesas no próximo orçamento da UE ainda é proposta

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 jun (Lusa)- O corte de 14 milhões de euros para o setor das pescas em Portugal no orçamento comunitário 2021-2017 não passa de uma proposta, que começa a ser discutida no dia 18, lembrou hoje fonte oficial do Ministério do Mar.

"É apenas uma proposta que vai ser apresentada no Conselho de Ministros das pescas e do mar no dia 18 e que vai começar a ser discutida", afirmou fonte oficial do Ministério do Mar à agência Lusa.

Portugal vai receber 378,5 milhões de euros para o setor das pescas no próximo quadro financeiro plurianual (QFP)2021-2027, menos 14 milhões do que a verba inscrita no orçamento em vigor, disse hoje à Lusa fonte comunitária.

O envelope para Portugal previsto na proposta do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) para o período 2021-2027 é de 378,5 milhões de euros, face aos 392,5 milhões de euros do QFP em vigor até finais de 2020.

Todos os Estados-membros deverão receber envelopes com montantes na ordem dos 96,5% dos atuais, calculados a preços correntes, especificou a mesma fonte.

As novas regras do FEAMP, segundo a fonte comunitária, simplificam o recurso dos Estados-membros ao cofinanciamento porque as candidaturas passam a ser feitas por áreas de apoio e estratégias nacionais, baseadas nas prioridades definidas a nível nacional.

A proposta global para o setor das pescas entre 2021 e 2027 é de 6,14 mil milhões de euros, abaixo dos 6,4 mil milhões inscritos no orçamento atual.

FYC (IG) // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Frente Comum marca greve nacional da função pública para dia 15 de fevereiro

Os sindicatos da Frente Comum da Administração Pública decidiram marcar uma greve nacional para o dia 15 de fevereiro, anunciou Ana Avoila no final de um plenário realizado esta terça-feira em Lisboa.

Que inflação se pode esperar para 2019?

Água, luz, combustíveis e transportes. Foram os bens essenciais que mais sofreram com a inflação. Os portugueses dizem ter sentido isso na carteira e 2019 pode seguir o mesmo trajeto.

Hóspedes, dormidas e proveitos cresceram em Portugal em novembro de 2018

O número de hóspedes em Portugal aumentou 6,3% em novembro, para 1,3 milhões, enquanto as dormidas avançaram 4,6%, para 3,3 milhões, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), que registou também subidas nos proveitos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS