Info

Costa critica ideia de solidariedade limitada à distribuição de fundos europeus

| Política
Porto Canal com Lusa

Boston, Estados Unidos, 11 jun (Lusa) - O primeiro-ministro afirmou hoje que a União Europeia tem de refletir mais e mudar o sistema de acolhimento de refugiados, frisando que a solidariedade não pode ser apenas invocada na questão dos fundos estruturais.

António Costa falava aos jornalistas no final de uma visita ao Massachusetts Institute of Techocnology (MIT), em Boston, depois de questionado sobre os episódios em torno do navio "Aurora", que Espanha se ofereceu para receber, com 629 refugiados a bordo, depois de Itália e Malta terem recusado.

"A solidariedade não existe só no momento da distribuição dos fundos europeus. Existe também no esforço que todos temos de fazer para partilhar aqueles refugiados que procuram a Europa", respondeu o primeiro-ministro, numa declaração em que criticou os Estados-membros que preconizam políticas de encerramento de fronteiras.

"A política de encerramento de fronteiras é contrária aos valores da União Europeia. Portugal tem possuído uma política de abertura constante nesta matéria", acentuou o líder do executivo perante os jornalistas.

PMF // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Presidente da República preocupado com aumento da mortalidade infantil

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, mostrou-se esta segunda-feira preocupado com o aumento da mortalidade infantil, defendendo que é preciso apurar as causas para que "não se volte a repetir no futuro".

Atualizado 22-01-2019 11:13

Catarina Martins enaltece passes mais baratos e pede mais transportes

A coordenadora do BE, Catarina Martins, elogiou este domingo a medida orçamental negociada com o Governo para a descida do preço dos passes de transportes públicos, mas defendeu que deve ser acompanhada de mais investimento para haver mais meios disponíveis.

Assunção Cristas lamenta desinteresse de Costa por setor da saúde "em rutura"

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, lamentou este sábado e o desinteresse do chefe do Governo pelo setor da saúde, descrevendo-o como "em rutura" devido à "austeridade escondida", numa conferência sobre o tema organizada pelo partido na sede de Lisboa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.