Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Presidente da República afirma que "não tem posição tomada" quanto à eutanásia

Presidente da República afirma que "não tem posição tomada" quanto à eutanásia
| Política
Porto Canal com Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou este sábado que "não tem posição tomada" quanto aos diplomas sobre a eutanásia, realçando que não existem sequer iniciativas legislativas apreciadas pelo parlamento sobre esta matéria.

O chefe de Estado deixou esta mensagem numa nota publicada no portal da Presidência da República na Internet, a propósito da eutanásia, na qual se lê: "O Presidente da República, como ainda hoje repetiu, não tem posição tomada sobre diplomas que não foram sequer apreciados pela Assembleia da República".

Hoje, à saída de uma cerimónia, no Museu dos Coches, em Lisboa, questionado sobre os projetos de lei sobre a morte medicamente assistida, Marcelo Rebelo de Sousa declarou uma vez mais que, "até ao termo do processo", não se pronunciará sobre esta matéria: "Vou esperar o que a Assembleia votar e, se eventualmente, vier às minhas mãos um diploma, pronunciar-me-ei".

Na quinta-feira, dia em que recebeu representantes de comunidades religiosas e os grão-mestres da Grande Loja Regular de Portugal e da Grande Loja Feminina de Portugal, o chefe de Estado disse aos jornalistas que vai "ouvindo, ouvindo" quem lhe pede audiências sobre a eutanásia, mas sem tomar posição.

"Só terei opinião se, porventura, um decreto chegar às minhas mãos. Aí, eu pronuncio-me. Eu não vou mudar a minha posição, que é de não me pronunciar até ao termo do processo", acrescentou, no final de uma iniciativa na Fundação Champalimaud, em Lisboa.

+ notícias: Política

CDU/Porto defende "medidas de emergência" para realojar famílias despejadas

A CDU/Porto defendeu este domingo a criação de “medidas de emergência” para realojar moradores despejados, desafiando o presidente da Câmara, Rui Moreira, a ser agora tão proativo como já foi em relação a outras matérias, como o Infarmed.

António Costa salienta que acordo de concertação cumpre Programa do Governo

O primeiro-ministro considerou esta segunda-feira que o acordo de concertação social alcançado em matérias como o combate à precariedade e a negociação coletiva cumpre o Programa do Governo, classificando-o como essencial para a estabilidade profissional dos mais jovens.

Atualizado 19-06-2018 12:13

António Costa diz que é preciso que o país se habitue a não aguardar por tragédias

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou este domingo que o país tem de se habituar "a não aguardar pelas tragédias" para dar importância àquilo que é estrutural, elegendo a floresta e o interior como prioridades.

Atualizado 18-06-2018 13:54

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

IV Festival de Guitarra de Amarante