Jornal Diário Jornal das 13

Morreu estrela do cinema da Coreia do Sul raptada em 1978 pela Coreia do Norte

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Seul, 17 abr (Lusa) - Uma atriz sul-coreana, raptada por ordem do pai do atual líder da Coreia do Norte e obrigada a fazer filmes para o regime, morreu com 91 anos, anunciou hoje a família.

Choi Eun-hee foi, entre 1950 e 1970, uma estrela do cinema sul-coreano, antes de ser raptada por agentes norte-coreanos em Hong Kong em 1978, sob ordens de Kim Jong-il, um apaixonado pela sétima arte.

Pouco tempo depois, o ex-marido, o famoso realizador sul-coreano Shin Sang-ok, foi também raptado pelos norte-coreanos.

O casal foi obrigado a ficar na Coreia do Norte durante oito anos, tendo filmado em conjunto uma dezena de filmes a pedido de Kim Jong-il. Apesar da vigilância permanente de agentes norte-coreanos, os dois deslocavam-se com frequência ao estrangeiro para filmar ou para assistir a festivais de cinema.

Choi chegou a ser proclamada melhor atriz no festival internacional de cinema de Moscovo, em 1985, pelo papel em "Sal", sobre coreanos que combatem contra o colonizador japonês entre 1910 e 1945.

O casal, que se tinha divorciado em 1976, voltou a casar-se, durante uma viagem à Hungria, a pedido de Kim.

Depois de terem participado na Berlinale de 1986, os dois conseguiram fugir através da embaixada norte-americana em Viena. Viveram nos Estados Unidos durante mais de dez anos e só regressaram à Coreia do Sul em 1999.

Shin morreu em 2006. A vida do casal inspirou vários livros e filmes.

O funeral da atriz, que participou em mais de 100 filmes, muitos dos quais realizados por Shin, vai realizar-se na quinta-feira, em Seul.

A Coreia do Norte raptou centenas de sul-coreanos, ao longo das décadas que se seguiram à Guerra da Coreia.

EJ // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Pelo menos dez portugueses vão permanecer em prisão preventiva na Venezuela

Um tribunal da Venezuela decidiu este sábado manter em prisão preventiva pelo menos dez portugueses e luso-descendentes, todos eles gerentes de supermercados, acusados de impedir o abastecimento de produtos básicos e de violarem as leis que regulam os preços.

Epidemia de cólera mata cerca de 100 pessoas na Nigéria

Uma epidemia de cólera matou quase 100 pessoas nas últimas duas semanas no nordeste da Nigéria, uma região devastada pelas ações do grupo extremista Boko Haram, informou este sábado a ONU.

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.