Jornal Diário Jornal das 13

PSD: Negrão diz que seria estranho não estar preparado para liderar bancada com a sua experiência

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 08 fev (Lusa) -- Fernando Negrão afirmou hoje que "se não estivesse preparado para ser líder parlamentar" depois de nove anos como deputado lhe poderiam passar "um atestado de imbecilidade", mas disse duvidar que este cenário esteja na ordem do dia.

Num almoço/debate do International Club of Portugal, em Lisboa, o deputado e ex-ministro da Justiça foi questionado se estaria disponível para assumir o desafio de liderar a bancada do PSD, depois de o presidente eleito Rui Rio ter garantido a continuidade do atual presidente do grupo parlamentar, Hugo Soares, até ao Congresso.

"Deixe-me dividir a reposta em duas partes: sou deputado há nove anos, se eu não estivesse preparado para ser líder parlamentar com nove anos de deputado, tenho a certeza que me passariam um atestado de imbecilidade", afirmou.

Dizendo ter dúvidas que este cenário esteja na ordem do dia, Fernando Negrão acrescentou: "O que está na ordem do dia é que eventualmente será mudada a direção do grupo parlamentar, pode até nem ser mudada, é uma decisão que cabe ao novo presidente do PSD no próximo congresso".

SMA // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Distrital do PSD/Porto pede demissão do ministro da Saúde por causa do Infarmed

A direção da distrital do PSD do Porto pediu este sábado a demissão do ministro da Saúde, Adalberto Campos Ferreira, que anunciou a suspensão da transferência do Infarmed para a cidade.

CDS/PP critica Governo por "processo desastrado" com mudança do Infarmed

A presidente do CDS/PP disse este sábado que a decisão do Governo de suspender para já a transferência do Infarmed de Lisboa para o Porto é o desfecho de um processo "mal gerido e desastrado".

Governo remete decisão de transferência do Infarmed para o Porto para comissão na Assembleia da República

A deslocalização do Infarmed para o Porto dependerá da comissão da Assembleia da República que vai acompanhar os processos de descentralização dos serviços públicos, anunciou hoje o ministro da Saúde.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.