Jornal Diário Jornal das 13

Costa nega ter dado acordo a círculo transnacional nas eleições europeias

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 jan (Lusa) - O secretário-geral do PS negou hoje ter dado o seu acordo à proposta do Presidente francês, Emmanuel Macron, para a criação de um círculo transnacional nas eleições europeias, contrapondo que os socialistas portugueses se têm oposto.

António Costa falava à entrada para a reunião da Comissão Nacional do PS, depois de confrontado com as acusações do eurodeputado social-democrata Paulo Rangel, segundo as quais o primeiro-ministro português, durante a recente cimeira dos países da Europa do sul, em Roma, terá dado o seu acordo a essa proposta do chefe de Estado francês.

De acordo com o primeiro-ministro, está a haver "especulação com base numa interpretação errada da declaração [escrita] elaborada no final da reunião dos países do sul da Europa".

"São bem explícitos os pontos sobre os quais há um acordo de todos e, depois, os temas em que, embora não sendo objeto de rejeição, não têm acordo. Aliás, o primeiro-ministro de Espanha, Mariano Rajoy, foi bastante explícito sobre essa matéria [do círculo com listas transnacionais], dizendo que não houve o acordo de todos", alegou António Costa.

O secretário-geral do PS invocou ainda que, no texto final da cimeira realizada em Roma, em particular no parágrafo referente à democracia europeia, os chefes de Estado e de Governo dos países da Europa do sul referem "uma congratulação sobre a ideia das consultas dos cidadãos".

"Mas, depois - acentuou António Costa -, apenas se admite que poderia ser uma boa ideia" a questão da criação de um círculo eleitoral transnacional.

"É um tema que tem estado em debate no Parlamento Europeu e, aliás, tem um relator português: o eurodeputado socialista Pedro Silva Pereira. O PS tem-se oposto, precisamente, à ideia da criação de listas transnacionais nas eleições europeias", frisou António Costa.

PMF // CSJ

Lusa/fim

+ notícias: Política

PCP lamenta “protelamento” do Governo face a professores e exorta cumprimento da lei

O PCP condenou hoje o "protelamento", por parte do Governo, nas negociações com os professores sobre a contagem integral do tempo de serviço e devidas remunerações, instando o executivo socialista ao cumprimento da legislação.

Governo está a equacionar um serviço de atendimento permanente no hospital de Ovar

O Governo está a equacionar a abertura de um serviço de atendimento permanente no Hospital Francisco Zagalo, em Ovar. Esta é pelo menos a convicção do movimento de utentes baseada no grupo de trabalho criado pelo ministério da Saúde para analisar a prestação de cuidados de saúde em Aveiro.

Empresários descontentes com alterações das regras do alojamento local

As regras do alojamento local mudaram. Os proprietários enfrentam agora mais custos e obrigações. Entre elas, a possibilidade de pagarem mais condomínio. Com a alteração da lei as câmaras municipais e os próprios condomínios passam a ter mais poderes no licenciamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.