Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Marcelo convicto de que Caixa manterá presença em todos os concelhos

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 20 mar (Lusa) - O Presidente da República manifestou-se hoje convicto de que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) manterá presença em todos os concelhos do país e afirmou que essa é uma preocupação do Governo.

"Tenho a convicção de que se chegará a uma solução que permitirá reduzir a presença da instituição no país, mas mantê-la presente em todo o território português em termos concelhios", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, no final de uma visita a uma exposição sobre a presença judaica em Portugal, na Torre do Tombo, em Lisboa.

Questionado se tem alguma garantia de que não haverá nenhum concelho sem uma agência da CGD, o chefe de Estado respondeu: "Estou a acompanhar isso com interesse e sei que o Governo também está muito empenhado nisso".

"O que eu estou a dizer é que há essa preocupação da parte do Governo - eu já tinha falado nela, aliás, há talvez quinze dias - que é de reduzir o que é hoje uma estrutura muito ampla e muito pesada, por razões que têm a ver com o plano aprovado em Bruxelas e em Frankfurt, mas ao mesmo tempo manter uma presença nos vários concelhos, para não quebrar uma ligação que é uma ligação histórica com a população portuguesa", acrescentou.

IEL // VAM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

BE insiste que venda a privados do Novo Banco é um erro e por isso não apoiará Governo

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, insistiu hoje que é um “erro” vender o Novo Banco a privados, salientando que o Governo não terá o apoio do partido neste processo.

Bruxelas admite que Estado mantenha parte do capital se assumir outros compromissos do Novo Banco

A comissária europeia da Concorrência, Margrethe Vestager, admitiu hoje a possibilidade de o Estado português manter 25% do capital do Novo Banco, mas apontou que então deverá assumir outros compromissos, escusando-se a especificar quais.

Bruxelas alerta que mudanças nas pensões antecipadas trazem riscos

A Comissão Europeia considera que a redução da penalização nas reformas antecipadas para quem tem mais de 48 anos de descontos pode comprometer o fim das transferências extraordinárias do Orçamento do Estado para a Segurança Social.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...