Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Centeno afirma que todos os portugueses terão acesso a balcões da CGD

Centeno afirma que todos os portugueses terão acesso a balcões da CGD
| Política
Porto Canal com Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno, afirmou-se hoje, em Bruxelas, "completamente seguro" de que todos os portugueses terão acesso a serviços bancários da Caixa Geral de Depósitos (CGD) depois do processo de reestruturação da rede de agências.

À saída de uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro, Centeno, ao ser questionado sobre se está em condições de garantir que a CGD vai manter balcões em todos os concelhos do país, respondeu que "a ideia que vai ser debatida seguramente em Portugal é a de que a Caixa saia do processo de recapitalização e de reestruturação fortalecida e capaz de ter um serviço bancário de grande qualidade e de apoio às Pequenas e Médias Empresas e às famílias portuguesas".

"A dimensão espacial é seguramente uma dimensão relevante, e estou completamente seguro que todos os portugueses vão ter acesso a serviços bancários também através da CGD", declarou.

No âmbito do processo de recapitalização da CGD, a administração do banco público deverá encerrar cerca de 70 balcões até ao final do ano, estimando-se que a redução de agências atinja as 180 no final de 2020 - uma reestruturação que tem levantado dúvidas ao PCP, Bloco de Esquerda e "Os Verdes" e que conta já com a oposição do PSD.

+ notícias: Política

Desemprego, saneamento e o envelhecimento da população foram os principais temas no debate de Ponte de Lima

Manuel Barros, Vitor Mendes, João Gomes, Filipe Viana e Abel Baptista estiveram presentes no Porto Canal a debater essencialmente questões ligadas ao desemprego, o saneamento e o envelhecimento da população.

Passos diz que Governo deu razão a Cavaco e que "retóricas mentirosas têm perna curta"

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou este domingo que o Governo "demorou duas semanas a dar razão" ao ex-Presidente da República Cavaco Silva e defendeu que "as retóricas mentirosas" têm um prazo de validade curto.

Cristas diz folgar em saber que Costa quer "acordar para a dívida"

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, defendeu este domingo que o primeiro-ministro, António Costa, "finalmente, parece querer acordar para a dívida", cujos níveis elevados não mereceram ação consistente nem preocupação do Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

"Todos nós estamos desenhados...