Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Custo da mão-de obra sobe 1,6% na zona euro e 1,2% em Portugal no 4.º trimestre de 2016

| Economia
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 20 mar (Lusa) - Os custos horários da mão-de-obra aumentaram no quarto trimestre de 2016, 1,6% na zona euro, 1,7% na União Europeia (UE) e 1,2% em Portugal, face ao mesmo período de 2015, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da UE, a subida dos custos da mão-de-obra acelerou na zona euro e UE face ao terceiro trimestre de 2016 (1,4% e 1,8%), mas abrandou em Portugal (2,8% entre julho e setembro de 2016).

Na zona euro, os custos com salários subiram 1,6% e os não salariais 1,5%, enquanto na UE aumentaram 1,8% e 1,5%, respetivamente.

Em Portugal, ambos os componentes dos custos horários da mão-de-obra subiram 1,2% face ao trimestre homólogo.

Entre outubro e dezembro de 2016 - e na comparação homóloga - a Roménia (12,3%), a Lituânia (10,7%), a Letónia (8,1%) e a Bulgária (8,0%) registaram as maiores subidas no indicador, tendo as quebras sido observadas na Grécia (-0,5%) e na Áustria (-0,1%).

IG // MSF

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Organismo científico que aconselha a Comissão Europeia sobre as quotas de captura de peixe recomenda a suspensão total da sardinha por um período mínimo de 15 anos.

O Conselho Internacional para a Exploração do Mar recomenda que a Comissão Europeia suspenda a pesca de sardinha durante 15 anos devido á falta de stock. Este documento não é vinculativo, mas os pescadores já se mostraram contra esta posição. É que Portugal é um dos países onde a sardinha mais peso tem na subsistencia dos pescadores.

Portugal com terceira maior dívida pública da UE, mais do dobro do limite

A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.

Mais de 7.000 notas de euro retiradas de circulação pelo Banco de Portugal no 1º. semestre

Lisboa, 21 jul (Lusa) -- Mais de 7.000 notas de euro contrafeitas foram retiradas de circulação em Portugal até junho, sendo a nota de 20 euros a mais contrafeita, segundo dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS