Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Taxas Euribor mantêm-se a 3, 6 e 12 meses e descem a 9 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 20 mar (Lusa) -- As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, seis e 12 meses e desceram a nove meses em relação a sexta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje a ser fixada em -0,329%, acima do atual mínimo de sempre de -0,330% registado pela primeira vez em 22 de fevereiro.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, também foi hoje fixada de novo em -0,241%, inalterada face a quinta-feira e contra o atual mínimo de -0,244%, registado pela primeira vez em 26 de janeiro.

A 12 meses, a Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, também se manteve hoje ao ser fixada em -0,109%. A Euribor a 12 meses atingiu o atual mínimo de sempre, de -0,114%, pela primeira vez em 01 de março.

No prazo de nove meses, a Euribor desceu 0,001 pontos face a sexta-feira, ao ser fixada em -0,169%, contra -0,172%, atual mínimo histórico, registado pela primeira vez em 28 de fevereiro.

Depois de ter sido fixada em valores negativos entre 27 de novembro e 03 de dezembro de 2015, a Euribor a nove meses voltou para níveis abaixo de zero em 07 de janeiro de 2016, nos quais se tem mantido desde então.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Desempregados inscritos nos centros de emprego com maior redução de sempre em fevereiro

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 15,3% em fevereiro, face a igual mês de 2016, para 487.629 pessoas, representando a maior redução em termos homólogos desde que há registo.

CGD: Maior aposta no financiamento a empresas implicou subida do crédito em risco - Vara

Lisboa, 22 mar (Lusa) - O antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Armando Vara, revelou hoje que quando a gestão de Santos Ferreira decidiu aumentar quota no segmento empresarial tinha consciência de que ia haver aumento do crédito em risco.

Reformas antecipadas com mais de 48 anos de contribuições deixam de ser penalizadas

Lisboa, 22 mar (Lusa) -- O Governo propôs hoje aos parceiros sociais que os trabalhadores com pelo menos 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade se possam reformar antecipadamente sem qualquer penalização.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...

Nota Alta

"Eu ainda não senti a...