Já é conhecido o cartaz do São João de Braga

Já é conhecido o cartaz do São João de Braga
São João de Braga
| Norte
Porto Canal / Agências

The Gift, David Carreira e Ana Malhoa são os destaques da edição 2024 do São João de Braga, que vai decorrer de 14 a 24 de junho e que terão como foco as rusgas populares.

Em conferência de imprensa, o presidente da Associação de Festas, Firmino Marques, adiantou que, no total, o São João deste ano terá mais de 30 concertos, sete cortejos e mais de 270 horas de programação.

“Este ano, o foco serão as rusgas populares, para a população sentir o São João na rua”, referiu.

No campo da música, a organização destaca ainda as atuações da Banda Sinfónica da GNR, Carlos Ribeiro, Jorge Loureiro, Siga a Farra, Canto d’Aqui e a apresentação do projeto “São João Hoje – Cancioneiro Sanjoanino Bracarense”.

Segundo o presidente da Associação Empresarial de Braga, Daniel Vilaça, a festa deverá significar um retorno financeiro para os agentes económicos superior a 20 milhões de euros.

A edição deste ano do São João está orçada em mais de meio milhão de euros.

Do programa, fazem ainda parte encontros de bombos, gigantones e cabeçudos, de tocadores de concertina e de cavaquinho, concursos de cascatas e de farturas e o regresso do cortejo histórico.

Este ano, o São João de Braga já poderá estender-se pela renovada Avenida da Liberdade, que esteve fechada para obras.

Para o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, o São João local tem um cunho “absolutamente distintivo” dos demais realizados em vários pontos do país, já que não se resume a noite folia, sendo antes um evento “de longa duração”, com um “programa intensíssimo”.

Rio aproveitou para anunciar que a Câmara vai assinar um contrato de comodato com a arquidiocese, cedendo à Igreja a gestão da capela de São João por 50 anos.

“A Câmara não tem vocação para gerir espaços religiosos”, referiu o autarca.

Em maio de 2023, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) confirmou que o Parque de São João da Ponte, em Braga, que acolhe a capela alusiva àquele santo, é propriedade do município, julgando assim improcedente o recurso da Arquidiocese local que reivindicava a posse daquele espaço.

A Arquidiocese de Braga tinha movido uma ação em tribunal contra a Câmara local, pedindo para ser declarada como exclusiva e legítima dona do Parque de S. João da Ponte.

Na ação, a arquidiocese pedia ainda que fosse declarada ilícita e abusiva a utilização e parcial ocupação que o município fazia daquele espaço e que o município fosse obrigado a abster-se de utilizar, fruir, usar e ocupar o parque.

A arquidiocese queria também que o município fosse condenado a restituir-lhe a parte daquele parque que ocupou com um parque de estacionamento no estado em que se encontrava, livre e devoluto de pessoas e bens.

No entanto, acabou por ser condenada a reconhecer que o Parque de S. João da Ponte integra o domínio público do município de Braga.

+ notícias: Norte

CCDR-N confiante na conclusão do projeto de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo

O presidente da Comissão de Coordenação Regional e Desenvolvimento (CCDR) do Norte, António Cunha, revelou esta quinta-feira à Lusa estar confiante e moderadamente otimista sobre a conclusão do projeto de ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo em 2032.

Colisão entre ligeiro de mercadorias e motociclo condiciona trânsito na A44 em Gaia

Uma colisão entre um veículo ligeiro de mercadorias e um motociclo está a obstruir parcialmente o trânsito no sentido Sul-Norte da A44, em Gaia, avança ao Porto Canal fonte do Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil da Área Metropolitana do Porto.

Inspeção-Geral de Saúde abre inquérito à morte de doente com pulseira verde nas urgências de Viana

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) anunciou esta sexta-feira ter instaurado um processo de inspeção às circunstâncias em que ocorreu a morte de um utente triado com pulseira verde no Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.