Quais os selos obrigatórios no vidro do carro?

Quais os selos obrigatórios no vidro do carro?
Arquivo
| País
Porto Canal

É uma dúvida para milhares de condutores e as mudanças em 2023 continuam a suscitar muitas questões entre os automobilistas. Imposto de selo, seguro e inspeção periódica: durante muitos anos a colocação destes três selos no vidro do carro foi obrigatória, regras que sofreram alterações primeiro em 2012 e mais recentemente em 2023.

No ano de 2007, com o até então imposto de selo a passar a ser denominado de imposto de circulação, caiu a obrigação para o proprietário de exibir este dístico no vidro da sua viatura.

Já em 2012, recorda a ACP, o Decreto-Lei n.º 144/2012 fez cair a obrigação da colocação do selo da inspeção periódica. Os condutores são, no entanto, obrigados a ter em sua posse a ficha de inspeção periódica obrigatória. Uma falha na apresentação deste documento pode resultar numa coima a oscilar entre os 60€ e os 300€, podendo ser reduzida para 30€ e 150€ caso seja apresentada nas autoridades até um prazo de oito dias.

Em 2023 foi a vez do seguro de responsabilidade, que até então se mantinha como o único selo obrigatório no vidro dos veículos. Dessa forma, os automóveis passaram a estar livres de qualquer comprovativo de obrigações legais e fiscais no pára-brisas.

 

Quais são então os documentos que os condutores devem ter sempre consigo?

- Cartão de Cidadão ou documento similar;

- Carta de Condução;

- Documento Único Automóvel;

- Comprovativo da Inspeção Periódica Obrigatória;

- Certificado de seguro automóvel (anteriormente designado por carta verde).

+ notícias: País

Preços dos combustíveis seguem em direções opostas. Confira as previsões

Depois de na última semana os preços dos combustíveis terem descido, a partir de segunda-feira as notícias não são boas para os condutores de carros a gasolina.

Ministério da Saúde convoca médicos para iniciarem negociações

O Ministério da Saúde convocou os sindicatos médicos para a primeira reunião negocial no dia 26 de abril de manhã, anunciaram esta sexta-feira as estruturas sindicais.

Um terço dos portugueses elegem 25 de Abril como a data mais importante do país

Em 2004 foi também esta a escolha de 52% dos inquiridos e de 59% da amostra no inquérito de 2014, face a outras datas propostas, como a adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1985, a implantação da República (1910), a restauração da independência em 1640, a Batalha de Aljubarrota (1385) e a chegada de Vasco da Gama à Índia (1498).