Guimarães Space Hub. Obras para requalificar antiga fábrica vão custar entre 10 a 12 milhões de euros

Guimarães Space Hub. Obras para requalificar antiga fábrica vão custar entre 10 a 12 milhões de euros
Foto: CM Guimarães
| Norte
Porto Canal/Agências

A requalificação da antiga fábrica têxtil do Arquinho para receber o ‘Guimarães Space Hub’, um centro tecnológico aeroespacial, vai custar entra 10 a 12 milhões de euros, adiantou esta terça-feira o presidente da câmara municipal.

“Espero que [a obra] seja financiada ainda pelo PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] ou, se não for pelo PRR, que seja pelo [Programa] Portugal 2030. Ainda não está fechado, mas está o compromisso assumido: é para lançar a obra a concurso e fazermos. Temos o compromisso com a Universidade do Minho, com a escola de engenharia aeroespacial e com o CEiiA, que vai lá ter uma sala de trabalho”, afirmou Domingos Bragança (PS), aos jornalistas.

O autarca falava à margem da apresentação do ‘Guimarães Space Hub’ e da assinatura de protocolos, um deles com o CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, sediado em Matosinhos, “para o desenvolvimento do projeto do Centro de Operações do Atlântico, que controlará um conjunto de 16 satélites para a monitorização do Atlântico e das florestas, que será construído pelo consórcio liderado pela empresa portuguesa GeoSat, até ao final de 2025”.

Domingos Bragança deu conta de que “o projeto está concluído, está a ser validado pelas diversas entidades”, esperando “lançar o concurso de obra ainda este mês”, que considera ser muito relevante para afirmar a cidade neste setor.

“É muito importante para a afirmação de Guimarães no aeroespacial, não só na ciência, mas também na indústria e nos serviços do aeroespacial. Este ‘Guimarães Space Hub’ é exatamente para construirmos esse caminho bem alicerçado para trazermos para Guimarães empresas que operam mundialmente através do CEiiA, da Universidade do Minho. Guimarães é a plataforma colaborativa com outros territórios em que o CEIIA e as universidades estão a trabalhar, nomeadamente com o IMT e outras universidades e empresas”, explicou o autarca.

Domingos Bragança acredita que o futuro centro tecnológico do setor da indústria aeroespacial vai potenciar a criar oportunidades de trabalho a “jovens muito qualificados”, deixando um repto aos empresários e aos cientistas investigadores.

“Desafio a todos, àqueles que têm talento, para aproveitarem as oportunidades e criarem as suas empresas, neste conjunto excecional em plataforma colaborativa que nos dá a indústria aeroespacial”, vincou o presidente da câmara.

Domingos Bragança espera que futuramente possa ser desenvolvido e construído um satélite “made in Guimarães”.

José Rui Felizardo, presidente do CEiiA, mostrou-se orgulhoso por assinar estes protocolos com a Universidade do Minho (UMinho) e com a câmara, garantindo que os mesmos não vão ser “um conjunto de vazio”, e que “haverá um grande empenhamento do CEiiA”, em especial, com os alunos de engenharia aeroespacial da UMinho, que praticamente lotaram o auditório do Teatro Jordão.

O reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, deixou a mesma garantia, manifestando a convicção de que estes protocolos tenham “efetiva concretização”.

Segundo este município do distrito de Braga, os protocolos esta terça-feira assinados entre as três entidades reforçam a aposta nesta área.

“O município de Guimarães, a Universidade do Minho, através da Escola de Engenharia, e o CEiiA reforçam uma importante colaboração que tem como objetivo a concretização desta estratégia, através da criação das melhores condições que permitam a fixação de recursos altamente qualificados, com vista à colocação do conhecimento científico e da tecnologia ao serviço da indústria, da sociedade e da qualidade de vida das pessoas”, sublinha a autarquia.

Ainda de acordo com a autarquia, o ‘Guimarães Space Hub’ “beneficiará do papel ativo e determinante da Escola de Engenharia da UMinho, nomeadamente da Engenharia Aeroespacial, e da elevada competência científica e tecnológica do CEiiA, no desenvolvimento de novos produtos e serviços nos setores da Aeronáutica e Espaço, assim como no estabelecimento de parcerias internacionais de referência no setor”.

+ notícias: Norte

Já há data para demolição de bairro em Gondomar

A demolição do bairro da Triana, em Rio Tinto, Gondomar, vai arrancar já no próximo ano. A notícia é avançada na edição desta segunda-feira do Jornal de Notícias, que fala de um projeto de reabilitação profundo naquela zona e que terá o mote de saída no lançamento da primeira pedra do novo centro de saúde de Rio Tinto, numa cerimónia que terá lugar já esta terça-feira.

Técnicos de reinserção social e de reeducação do Norte em greve pela revisão de carreiras

Os técnicos de reinserção social e de reeducação dos estabelecimentos prisionais do Norte iniciaram esta segunda-feira um período de greve pela revisão das carreiras e reforço de profissionais, realçando que a “atual situação põe em causa a segurança” da população.

Reforço da pista do aeroporto do Porto custa 50 milhões e vai demorar 19 meses

O reforço da pista do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, na Maia, começa a 31 de julho, vai demorar 19 meses, de segunda-feira a sábado, entre meia-noite e 06:00, num investimento de 50 milhões de euros, foi anunciado esta segunda-feira.